Covas demite 70 funcionários de hospital do Campo Limpo em plena pandemia

Publicado em 11 janeiro, 2021 8:17 am

Do Agora São Paulo:

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB). Foto: Prefeitura de São Paulo / Divulgação

Em meio à pandemia de Covid-19, a prefeitura de São Paulo demitiu 70 funcionários no Hospital Municipal do Campo Limpo, na zona sul da capital. Dentre os que perderam o emprego, 27 trabalhavam no pronto-socorro.

Segundo o representante do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindsep-SP), Douglas Cardozo, grande parte dos funcionários estava trabalhando em contratos de emergência que estavam irregulares. “Muitos trabalhavam no hospital há 8 ou 12 anos e o contrato estava vencido há muito tempo”, conta.

O maior corte aconteceu entre os profissionais da área de enfermagem: 44 enfermeiros e auxiliares foram demitidos nos mais variados setores. Entre médicos, foram 14 demissões, dentre eles dez cirurgiões, dois ortopedistas, um psiquiatra e um clínico geral.

O pronto-socorro do Hospital do Campo Limpo perdeu um número significativo de profissionais. Oito dos dez cirurgiões trabalhavam no setor, assim como o clínico geral. Além disso, 16 enfermeiros do pronto-socorro e dois funcionários administrativos também foram desligados.

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!