Em livro, Moro descreve depósitos fracionados como os de Flávio Bolsonaro típicos de lavagem de dinheiro

Publicado em 19 janeiro, 2019 11:45 am
Moro e o livro sobre lavagem de dinheiro

O professor de literatura Idelber Avelar localizou em um livro de Sérgio Moro — Crime de Lavagem de Dinheiro (2010, Saraiva) — uma explicação para os depósitos fracionados na conta de Flávio Bolsonaro.

Diz o ex-juiz, hoje superministro de Bolsonaro:

“Foram apreendidos em operação policial dezesseis cheques emitidos na mesma data, pelo mesmo emitente, tendo sempre o mesmo beneficiário, e com valores que variavam de quatro mil e quinhentos a quatro mil e novecentos. Aparentemente, os cheques seriam utilizados para a realização de um saque em espécie do valor somado de todos. Todos os cheques tinham, portanto, valores inferiores a dez mil reais, e ainda a sua soma era inferior a cem mil reais. Condutas dessa espécie visam evitar que as operações sejam comunicadas ao COAF”.

Se se substituir cheque por depósito no caixa eletrônico, é o caso de Flávio Bolsonaro.

Vale repetir:

Condutas dessa espécie visam evitar que as operações sejam comunicadas ao COAF.

 

 

 

 

Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui.

Clique aqui e assine nosso canal no youtube