Empresários e servidores de SC mentiam sobre temporais e danos na rede elétrica para desviar dinheiro de estatal de energia

Publicado em 7 dezembro, 2019 11:10 pm
Dinheiro apreendido durante cumprimento de mandados de busca e apreensão, na manhã desta quinta-feira(Foto: Polícia Civil / Divulgação)

Do NSCTotal:

A Polícia Civil deu detalhes sobre como agia o grupo de empresários e servidores suspeito de desviar recursos na Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), durante coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (5) em Florianópolis. Segundo as investigações, o esquema utilizava tempestades e temporais como pretexto para contratar empresas para prestar serviços de manutenção, mas na maioria dos casos os serviços não eram necessários e o dinheiro acabava desviado. Os desvios ocorreram em 2010 e, conforme os investigadores, o prejuízo já comprovado foi de R$ 3,3 milhões, mas é possível que o rombo chegue a R$ 10 milhões.

Os suspeitos de integrarem o grupo criminoso foram alvo da operação Zero Grau, deflagrada durante a manhã, quando os policiais cumpriram 21 mandados de busca e apreensão em seis cidades catarinenses: Florianópolis, São José, Itajaí, Blumenau, Orleans, Pescaria Brava, além de Curitiba (PR). Também foram expedidos 49 mandados de sequestro de veículos. Dinheiro e celulares foram apreendidos.

Segundo os investigadores, a fraude ocorria a partir de processos de caráter emergencial e teve origem na Divisão de Infraestrutura de Telecomunicações (DVIT) da Celesc. Os desvios foram comprovados em ao menos seis de sete processos investigados nas regionais de Florianópolis, Joinville, Rio do Sul e Criciúma.

(…)