Escândalo: ata do PSL aponta Gustavo Bebianno como responsável por liberar repasses

Publicado em 14 fevereiro, 2019 6:10 pm

Do site Metrópoles.

O registro de uma ata de reunião da Direção Nacional do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, determina que a distribuição dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC) deveria ser chancelada pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, que presidiu o partido durante a campanha eleitoral de 2018. As informações são do jornal Folha de S.Paulo. 

A ata revelada pelo jornal registra que os integrantes da cúpula do partido concordaram, no dia 11 de julho de 2018, em Brasília, que os candidatos que desejassem receber verba originária do FEFC teriam de fazer um “requerimento formal, por escrito, à presidência da comissão executiva nacional”.

O documento também registra que “ficou decidido, por unanimidade, que caberá ao presidente da Comissão Executiva Nacional do PSL decidir sobre a distribuição dos recursos”. A primeira assinatura é de Bebianno, que presidiu a reunião. Confira:

(…)

Bebianno presidiu interinamente o PSL no período eleitoral, no ano passado, em substituição ao deputado Luciano Bivar (PE), que se licenciou do posto para concorrer à reeleição para a Câmara. Bivar foi reconduzido à presidência do partido em novembro do ano passado.

(…)

Gustavo Bebianno. Foto: FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL
Trechos de ata do PSL que foi elaborada antes da campanha de 2018. Documento contradiz Bebianno e o aponta como responsável por repasses a candidatos nos estados. Foto: Reprodução