Fim de auxílios devolverá 15 milhões de brasileiros à pobreza em 2021

Publicado em 8 outubro, 2020 10:19 pm

Do Estadão:

Auxílio emergencial

Um estudo da FGV Social mostra que o número de pobres no Brasil caiu 23,7% entre 2019 e agosto deste ano, o que representa 15 milhões de pessoas. Mas o que à primeira vista pode parecer uma boa notícia, na verdade, apresenta-se como o prenúncio de uma nova crise, uma vez que os dados estão diretamente ligados à concessão de auxílios governamentais dados em meio à pandemia, que irão se extinguir até o fim do ano.

Segundo o economista Marcelo Neri, que coordena o levantamento, “é cristalino” que esse contingente retornará à pobreza a partir de 31 de dezembro, quando termina a concessão do auxílio emergencial. “O retorno à pobreza dessas quinze milhões de pessoas é um cenário até conservador. O Brasil foi o país da América Latina que mais concedeu auxílio proporcionalmente ao seu PIB, mas não era o que estava em melhores condições”, ressalta. “O País teve generosidade, mas não sei se teve sabedoria. Vamos saber daqui a um ano.”

A faixa mais pobre da população é aquela que recebe até 1/2 salário mínimo por pessoa, montante inferior aos R$ 600 do auxílio emergencial concedido pelo governo federal em meio à pandemia. O valor do benefício já caiu pela metade, e será extinto até fim do ano.

(…) Praticamente todos os estados tiveram queda no número de pobres, e o levantamento mostra que as regiões que registraram as maiores reduções foram a nordeste (-30,4%) e a norte (-27,5%) – as duas que tiveram as maiores parcelas do público-alvo do auxílio emergencial.

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!