Goleiro Bruno volta aos gramados, agora pelo Poços de Caldas, da terceira divisão de Minas

Publicado em 13 agosto, 2019 9:46 pm
Em 2017 ele assinou com o Poços de Caldas, mas teve de voltar para a cadeia (Imagem: reprodução)

Do Estado de Minas:

O goleiro Bruno Fernandes vai voltar ao futebol. Condenado como mandante do assassinato da modelo Eliza Samudio em 2010, ele acertou contrato para representar o Poços de Caldas na terceira divisão do Campeonato Mineiro de 2020.

Em 18 de julho, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) concedeu progressão de pena a Bruno e ele teve direito ao regime semiaberto. Uma das exigências do juiz Tarciso Moreira de Souza, inclusive, era que o goleiro trabalhasse.

A informação foi divulgada pelo Jornal Mantiqueira, de Poços de Caldas.

Pelas redes sociais, o Poços de Caldas já comemorava, durante a semana, a concretização de “uma grande contratação”. “Nosso trabalho é um trabalho social, dando oportunidade para todos. Em breve, estaremos anunciando uma grande contratação. E de meus agradecimentos a todos (sic)”, informou o clube.

Em outro post, a agremiação garantiu que voltaria às atividades neste mês. Informou, ainda, que a atual administração daria “oportunidades para todos aqueles que almeja (sic) ser um atleta profissional”.

Segundo a decisão judicial que o concedeu o regime semiaberto, Bruno deve ficar em casa no período entre 20h e 6h. A decisão anulou a falta grave cometida pelo réu, aplicada devido à matéria publicada pela TV Alterosa Sul de Minas, na qual o ex-jogador do Atlético é flagrado em um bar na companhia de mulheres e com uma lata de cerveja em cima da mesa.

Ainda de acordo com o documento, Bruno “satisfaz as exigências subjetivas e objetivas para a concessão da progressão de regime para o semiaberto”. O magistrado também ressaltou que o goleiro “já cumpriu o lapso temporal necessário da pena imposta no regime fechado”. O juiz destaca, ainda, que a “conduta carcerária” do ex-jogador lhe garante a “reinserção à vida social”.

A reportagem telefonou para a advogada do goleiro, Mariana Migliorini, mas ela não respondeu às mensagens nem atendeu às ligações.

(…)