Grupo envia carta a professores de Universidade de Miami em protesto a palestra de Moro

Publicado em 12 abril, 2018 9:38 am

No dia 19, Sergio Moro dará palestra na Faculdade de Direito da Miami University. O juiz é descrito como “a força motriz por trás da Operação Lava Jato – uma investigação que revelou uma rede de corrupção governamental e resultou na condenação e prisão de alguns dos mais poderosos políticos e líderes empresariais do Brasil”.

Uma carta do grupo Democracy Watch foi enviada aos acadêmicos e relações públicas da instituição em protesto à maneira como a instituição “transformou a palestra em um espaço privado de legitimação e memória”:

Caros membros da comunidade da UM [Universidade de Miami], em especial os membros de Faculdade de Direito

Com todo o respeito, nós dirigimos essa carta a vocês como sinal da preocupação com o nosso presente e da maneira como instituições estão esquecendo dos princípios de liberdade.

Estamos trazendo esse tema para discussão após saber que o juiz Sergio Moro foi convidado para falar na Faculdade de Direito, no próximo dia 19 de abril. Alguns de vocês nem sabem quem é o Sr. Moro, mas seus laços pouco claros com os Estados Unidos datam de muito tempo atrás e, seu papel na história recente do Brasil é um desastre. Moro é um juiz de baixa corte no tribunal federal que assinou a ordem de prisão sem provas confiáveis, do por duas vezes presidente eleito, Luis Ignacio Lula da Silva, condenado por doze anos, no último sábado (6 de abril). Ele é oTemplárioleal pelo fim da corrupção no Brasil, mas apenas sob seus termos, para ser mais específico, a alegada corrupção pelo PT em 4 mandatos, após 503 anos de patriarcalismo instaurado no poder. 

Nos últimos dois anos, o Brasil mudou o caminho do desenvolvimento e do crescimento iniciado por uma pessoa comum (umvacilantepara usar a terminologia americana do início do século XX para designar os esquerdistas) que lutou pela justiça e dignidade para todos os cidadãos. O Brasil viu pela primeira vez em 500 anos o acesso do mais pobre às suas necessidades básicas, alimentação e educação na maior reforma social vista na América Latina. O Brasil foi um gigante desperto, parte orgulhosa do BRICS; convidados para as mais altas discussões políticas; tema da indústria de Hollywood (o filme do Rio); realizou a Copa do Mundo de Futebol e Olimpíadas, para dizer alguns. O Brasil saiu pela primeira vez do Mapa Mundial da Fome da ONU, graças aoPrograma Fome Zeroinaugurado pelo governo de Lula da Silva.

É inacreditável o espaço que esta instituição está dando a um homem que destruiu a democracia brasileira. Polarização provocada peloprocesso de demonizaçãodo Sr. Lula e do PT, causou picos no desemprego, desmantelamento de todas as instituições brasileiras, especialmente a Petrobras que teve uma multa recente a pagar aos EUA de US $ 3 bi e à Suprema Corte, deliberar conforme o monte de mentiras do estilonovelísticodas demandas televisivas da Rede Globo. A democracia brasileira não é uma novela. Isso nunca será.

Se a Faculdade de Direito quer discutir a corrupção no Brasil, a melhor maneira de fazêlo seria chamar especialistas sobre o tema e não um juiz no exercício do caso. Isso nunca aconteceria com um juiz americano, em seu próprio território. Uma vez que o evento ainda está marcado por causa da vinculação com a Câmara de Comércio Brasileira, sugiro que os membros da Faculdade de Direito questionem Morouma vez que o evento de 19 de abril passou de público para privadose todos os políticos pegos em gravações confessando um esquema gigantesco envolvendo a Suprema Corte para tirar a presidência da Sra. Rousseff receberia o mesmo tratamento rápido ecordialque o Sr. Lula da Silva? Ou se todos os políticos de outros partidos que não o PT (o partido de Lula) serão punidos com a mesma severidade e velocidade? FYI, nosso registro para participar deste evento foi negado por email.

Qual é o problema com este evento é que é um evento privado em uma universidade privada. Qualquer universidade deveria ser um lugar para se pensar livremente. É medo do Sr. Moro ser questionado sobre questões embaraçosas? O medo que alguém consideradopetralhaexpor a fraqueza de um juiz que sempre recebe alta remuneração por defender os poderosos, o Estado Americano e nunca servir o interesse das pessoas e dos recursos naturais e industriais brasileiros? Não aceitamos o argumento de que o evento está cheio e foi transformadoapenas por convite”.

O juiz Sergio Moro mostrou que escolheu um lado muito tempo, e indica severa perseguição política no caso de Lula, quando ele foi fotografado murmurando em orelha de Aécio Neves em um evento público. Neves faz parte do PSDB, principal partido adversário do PT (partido de Lula) e perdeu quatro vezes consecutivas as eleições presidenciais brasileiras. Neves foi flagrado presumindo corrupção ativa e nunca foi punido pela lei brasileira. Nunca foi perseguido. José Serra, Geraldo Alckmin (novo candidato à presidência) foi citado por várias vezes. No Brasil, a justiça é para os pobres. Não para os ricos. Parece que estamos de volta aos anos 80.

O Sr. Lula da Silva foi presidente por duas vezes, tem 72 anos e foi preso sem que todas as etapas legais do processo tenham sido utilizadas. Ele foi condenado em um segundo nível de tribunal e, pela primeira vez na história brasileira, o Supremo Tribunal Federal alterou a Constituição para abrir espaço para sua condenação e prisão. O Sr. Lula da Silva poderá ser encarcerado por até 118 anos e a única prova que existe é uma denúncia em PowerPoint feita por um xerife local e suaconvicçãode que Lula é o chefe de umaquadrilhaque o levou à posse do suposto apartamento na cidade do Guarujá, que NUNCA esteve no nome do Sr. Lula da Silva.

Não somos advogados e, infelizmente, não conheço detalhes técnicos do processo de Lula da Silvaparte de um acordo judicial, umgolpe brancodesde o impeachment da Sra. Rousseff em 2016 -, mas ninguém tem que ser um especialista em Direito para saber que aOperação Lava Jatofoi uma forma encontrada de perseguir pessoalmente e tirar das eleições de 2018 o presidente admirado internacionalmente. O Sr. Lula da Silva é o primeiro colocado na corrida eleitoral pelos últimos dois anos em todas as pesquisas.

É uma pena ver a nossa cidade natal dar voz e criar um espaço de memória, legitimação e meiaverdade para essa grande injustiça baseada em uma pilha de mentiras, a maior em toda a história do Brasil, articulada por um juiz de primeira instância. Nos esforçaremos para espalhar essa iniciativa o máximo possível, e espero que esta Faculdade de Direito o mesmo espaço para discutir a verdade atrás da verdade de Moro, convidando outra pessoa influente, como por exemplo a Sra. Dilma Rousseff (convidada de Berkeley, CA em 16 de Abril), para falar livremente a esta Universidade, garantindo que a democracia e a liberdade de expressão sejam preservadas como forma de tornar a história conhecida no seu todo. Vejam como criar uma universidade depensamento livre“: https://www.eventbrite.com/e/dilmarousseffonchallengesfordemocracyinbraziltickets-44644671414
Os Estados Unidos têm razões suficientes para evitar a polarização, então, por favor, vamos manternos democráticos e abrir o evento para o público ou convidar outra pessoa para complementar a opinião de Moro.

Nosso pequeno grupo teme retaliações da comunidade brasileira de direita, o que torna muito difícil expressar nosso ponto de vista em Miami (embora seja uma das cidades mais diversas do mundo!). No entanto, não pararemos até que a justiça seja feita ao Sr. Lula da Silva, para que ele seja capaz de continuar transformando a pobreza em dignidade através do mundo.

Obrigado pelo seu tempo.

Brazilian Democracy WatchMiami

Palestra de Moro em Miami

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!