Homem que matou três pessoas da mesma família não tinha porte de arma e era de “milícia airsoft”

Publicado em 28 janeiro, 2020 11:05 am
Dionatha Bitencourt Vidaletti, acusado de assassinar uma família. Foto: Reprodução/Facebook

Do GaúchaZH.

Foi por um motivo banal que um homem matou três pessoas da mesma família na tarde deste domingo (26) no Lami, na zona sul de Porto Alegre: pequenos danos causados acidentalmente na sua caminhonete fizeram o motorista sacar uma arma e atirar na cabeça de pai, mãe e filho que estavam no outro carro, levando-os à morte.

(…)

É assim que o delegado Gabriel Bicca, da Divisão de Homicídios da Polícia Civil, avalia a discussão de trânsito que resultou num triplo homicídio. Rafael Zanetti Silva, 46 anos, a esposa dele, Fabiana da Silveira Innocente Silva, 44, e o filho do casal, Gabriel da Silveira Innocente Silva, 20 anos, foram assassinados por um homem irritado com uma batida provocada na sua Ecosport.

Em entrevista à Rádio Gaúcha horas depois do violento assassinato, Bicca disse que o autor dos disparos já foi identificado, mas que a Polícia Civil não pode divulgar o nome. Conforme apuração de GaúchaZH, trata-se de Dionatha Bitencourt Vidaletti, 24 anos. O caso está sendo investigado pela 4ª Delegacia de Homicídios, na Zona Sul.

— É um jovem. Mas profissão, o que faz da vida, a gente não teve acesso a esses dados ainda. Não é uma pessoa criminosa que irá se humilhar, ficar escondido e praticar outros atos ilícitos. Uma avaliação preliminar dos dados indica que foi um grande erro, o maior que ele cometeu. Espero que ele entenda que terá que responder por isso — disse Bicca na noite de domingo. 

(…)

A polícia descarta qualquer possibilidade de o atirador e a família terem tido desentendimentos anteriores à discussão. Bicca, porém, não soube informar se o assassino detém porte legal de arma. Dionatha Bitencourt Vidaletti fugiu assim que disparou nos três. 

(…)

PS: Na revista da casa de Vidaletti, a Polícia Civil encontrou uma pistola, um revólver, carregadores e munição. Ele já foi do Exército, mas não possui porte de armas. A pistola 380 tem registro no nome da mãe do suspeito, mas o revólver, calibre 38, não tem registro. Há imagens circulando dele em uma “milícia airsoft”. Airsoft é uma modalidade de simulação de operações militares ou policiais sem munição letal.

Dionatha Bitencourt Vidaletti, acusado de assassinar uma família. Foto: Reprodução/Facebook