Investigação sobre a morte de Marielle teve agente policial infiltrado, revela livro

Publicado em 17 outubro, 2020 6:53 pm

Da ÉPOCA:

Marielle Franco, em foto de fevereiro de 2018 — Foto: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio de Janeiro/AFP/Arquivo

A Polícia Civil do Rio utilizou um agente disfarçado de morador de rua para encontrar uma das testemunhas oculares do assassinato de Marielle Franco.

Infiltrado, o policial localizou o morador de rua que viu quando um homem, sentado no banco de trás do Cobalt prata, apontou uma arma e atirou contra o Agile em que estavam Marielle, a chefe de gabinete dela e o motorista Anderson Gomes.

Só depois a polícia e o MP do Rio descobriram que o homem era o sargento reformado da PM, Ronnie Lessa.

Esta é uma das diversas histórias reveladas em Mataram Marielle, livro que será publicado pela editora Intrínseca em novembro, de autoria dos repórteres Vera Araújo e Chico Otavio.

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!