Julian Lemos acusa Eduardo de desviar R$600 mil do PSL e comprar apartamento com auxílio-moradia

Publicado em 31 julho, 2020 7:25 pm

Da IstoÉ:

Eduardo Bolsonaro. (foto: Marcos Correa/PR )

Em entrevista à ISTOÉ, Julian Lemos diz que enquanto Eduardo Bolsonaro era o presidente da legenda pesselista de São Paulo, no ano passado, ele desviou recursos do milionário fundo partidário do partido.

Eduardo gastou, de forma irregular, em agosto de 2019, o valor de R$ 600 mil para pagar as contas do evento “Cúpula Conservadora das Américas”, promovida pela Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), da qual o filho 03 é líder no Brasil (a entidade tem origem nos Estados Unidos, mas Eduardo assumiu a tarefa de promovê-la na América Latina).

O evento, que nada tinha a ver com o PSL, foi realizado em um hotel de luxo em Foz do Iguaçu, e todas as despesas foram pagas pelo fundo partidário.

(…) Segundo Julian, Eduardo comprou um apartamento, no Rio, usando R$ 216 mil que recebe como auxílio-moradia mensalmente, para dar de entrada no imóvel, embora tenha apartamento funcional em Brasília, razão pela qual não precisaria receber a ajuda de custo de R$ 4.253 mensais.

Eduardo usou também outros R$ 30 mil que recebeu como auxílio-mudança do Rio para Brasília logo que assumiu o mandato no início de 2019.

Eduardo já tinha apartamento funcional em Brasília e não teria direito a receber a ajuda para mudar-se.

No total, de acordo com Julian, o filho do presidente utilizou R$ 246 mil recebidos irregularmente da Câmara para complementar a compra do imóvel.

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!