Mandetta diz que entregou carta a Bolsonaro no início da pandemia alertando que Brasil teria 180 mil mortos

Publicado em 4 maio, 2021 12:38 pm

Em depoimento na CPI da Covid nesta terça-feira (4), no Senado, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou que entregou ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em 28 de março de 2020, uma carta destacando os riscos de não se atuar para impedir o avanço da pandemia de covid-19.

Entregue a Mandetta pelo Secretário Nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, a carta explicava por que o Brasil teria aproximadamente 180 mil óbitos por coronavírus até o fim daquele ano.

O ex-ministro afirmou que poderia ler o documento, mas foi impedido por um senador governista, que disse que não era necessário. O relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse que Mandetta poderia entregar cópia à CPI.

Acompanhe o depoimento ao vivo:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!