MP investiga denúncias de tortura e estupro de grupo católico Arautos do Evangelho

Publicado em 21 outubro, 2019 7:34 pm

Do G1:

O Ministério Público de São Paulo apura denúncias de humilhações, tortura, assédio e estupro que seriam praticados por integrantes do grupo católico conservador Arautos do Evangelho dentro da sede que fica na Serra da Cantareira, em Caieiras, na Grande São Paulo. Segundo reportagem do Fantástico, os Arautos do Evangelho construíram castelos e colégios, onde jovens vivem em sistema de internato.

O grupo católico conservador surgiu do rompimento com outra sociedade conservadora, a Tradição, Família e Propriedade (TFP). Em 1999, o Monsenhor João Clá Dias, que fazia parte da TFP, fundou os Arautos do Evangelho. Segundo o estatuto, com a missão de “levar a animação cristã das realidades temporais, segundo o seu próprio carisma”. Hoje, a associação tem 15 colégios no Brasil, com cerca de 700 alunos. Em 2001, os Arautos foram reconhecidos pelo Vaticano como associação religiosa.

Os Arautos do Evangelho enfrentam uma série de denúncias desde o início do ano passado. Elas foram feitas por 40 pessoas aqui ao Ministério Público, na cidade de Caieiras, onde ficam os castelos do grupo. Os relatos são de abuso psicológico, humilhações, assédio e estupro. As mães ouvidas dizem que começaram a desconfiar quando notaram uma mudança de comportamento nos filhos. Elas afirmam que os Arautos estimulam o afastamento da família.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!