“Não podemos privilegiar quem pode pagar”, diz médio do Albert Einstein sobre vacina privada

Publicado em 27 janeiro, 2021 8:13 am

Do Valor:

Vacina. Foto: John Cairns / University of Oxford / AFP

“Não acho correto vender vacina no setor privado enquanto estiver faltando na rede pública. Estamos vivendo uma pandemia, não podemos privilegiar quem pode pagar pela vacina.”

A opinião é do médico Sidney Klajner, presidente do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, voltado ao público de alta renda.

O médico lembra que para os programas de imunização terem bons resultados é necessário que entre 60% e 70% da população seja vacinada.

Caso contrário, o vírus encontra uma grande quantidade de pessoas aptas a serem contaminadas tornando mais fácil sua reprodução e mutação como já vem ocorrendo no Brasil e também em outros países.

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!