Novo vexame internacional: maior revista da Alemanha repercute caso do nazista Alvim

Publicado em 17 janeiro, 2020 2:29 pm
Reprodução: Der Spiegel

Do Spiegel:

O governo populista de direita de Jair Bolsonaro já é criticado por um prêmio de arte planejado, cujo objetivo é promover a religião e o nacionalismo na arte. Agora, o ministro da Cultura, Roberto Alvim, precisa deixar o cargo. O motivo: na página de seu ministério no Twitter, ele publicou o vídeo de um discurso no qual uma declaração se assemelha a uma citação do ministro de propaganda nazista Joseph Goebbels.

Alvim disse: “A arte brasileira da próxima década será heróica e será nacional. (…) Ou não será nada”. A mídia brasileira, como o portal de notícias “G1” ou o jornal “Folha de S. Paulo”, comparou a passagem com declarações de Goebbels. Eles se referiram a uma biografia de Goebbels do historiador alemão Peter Longerich. Assim, Goebbels havia dito aos diretores de teatro em 1933: “A arte alemã da próxima década será heróica, será romântica para o aço (…) ou não será nada”.

A estética do vídeo do ministro brasileiro, o tom da palestra e a música de fundo – da ópera “Lohengrin”, de Richard Wagner – também lembraram aos observadores brasileiros a propaganda nazista. Alvim disse mais tarde no Facebook que não sabia de onde veio a frase. Se ele soubesse, nunca teria dito isso.

(…)