Oposição rejeita discussão proposta por Lira sobre semipresencialismo no Brasil para 2026

Publicado em 11 julho, 2021 11:52 pm
Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara – Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Líderes de oposição rejeitam a sugestão do deputado federal Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, de discutir a implementação do semipresidencialismo ou parlamentarismo no Brasil a partir de 2026.

Em entrevista à CNN, Lira disse que a mudança seria necessária para acabar com a instabilidade no país.

“O povo já decidiu pelo presidencialismo no plebiscito de 1993. Não faz sentido tirar dos brasileiros uma decisão que a Constituição de 1988 colocou nas mãos do povo. Fazer isso no Congresso, sem um novo plebisicto, e um ano antes da eleição, é, no mínimo, casuísmo”, diz Alessandro Molon (PSBRJ), líder da oposição na Câmara.

Já Bohn Gass (RS), líder do PT, afirmou que a instabilidade é gerada quando uma presidente, Dilma Rousseff, é tirada do poder sem ter cometido crime, enquanto Lira barra o impeachment de Bolsonaro, que já incorreu em vários.

“A anormalidade e a insegurança política foram provocadas justamente por aqueles que, quando não havia crime, criaram instabilidade. Agora que há crime, não querem levar adiante. O problema não é mudar de regime. O problema é, no regime que existe, cumprir o que está na lei. Não fazer isso que é gerar instabilidade”, afirma Gass.

Com informações da Folha de S.Paulo.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!