Pauta ideológica de Bolsonaro, ‘ideologia de gênero’ sofre várias derrotas no STF

Publicado em 13 julho, 2020 4:34 pm
Bolsonaro

De Paulo Saldaña na Folha de S.Paulo.

Tentativas de proibir abordagens sobre identidade de gênero nas escolas acumulam derrotas em série no STF (Supremo Tribunal).

Quatro decisões recentes consolidaram o entendimento de que é inconstitucional o veto ao tema na educação.

Os posicionamentos da corte enfraquecem uma pauta do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que emergiu no cenário político ao atacar o tema e uma suposta “sexualização precoce” presente nas escolas.

Trata-se ainda do principal front de batalha de políticos e lideranças evangélicas, que gozam de influência nos rumos do governo.

Na sexta-feira (10), Bolsonaro nomeou o pastor presbiteriano Milton Ribeiro para o cargo de ministro da Educação.

Especialistas afirmam que as teses consolidadas pelo Supremo também inviabilizam as propostas relacionadas ao Movimento Escola Sem Partido.

Criado para combater uma suposta doutrinação de esquerda nos colégios, esse movimento ganhou fôlego ao abraçar a chamada “ideologia de gênero”.

Iniciativas legislativas, a partir de 2014, impulsionaram a agenda. O próprio termo “ideologia de gênero” nunca foi usado por educadores. Ele se consolidou em documentos religiosos e entre os que atacam a abordagem.

(…)

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!