Prefeito de Embu alvo de operação da PF era figura carimbada dos protestos do MBL

A Polícia Federal deflagrou uma operação na manhã desta quarta-feira, dia 9, contra fraudes e desvio de dinheiro público em licitações.

O principal alvo é o prefeito de Embu das Artes, em SP, Ney Santos (PRB). Agentes da PF cumpriram um mandato de busca e apreensão em sua casa em Barueri.

Pelo menos 19 prefeituras estão sendo investigadas pela PF em licitações de merenda. A Polícia Federal chegou a pedir a prisão de diversos acusados, mas o Tribunal Regional Federal da 3ª Região não autorizou.

Ney Santos é acusado pelo Ministério Público de envolvimento com lavagem de dinheiro em postos de gasolina. Além disso, o MP aponta uma ligação com o PCC e o tráfico de drogas em Osasco, Embu das Artes, Taboão da Serra, Carapicuíba, Cajamar e São Paulo.

Preso por roubo de malotes em Marília em 2003, saiu da prisão em 2006 e, nos últimos anos, acumulou, segundo as investigações, um patrimônio de mais de 50 milhões de reais.

Em 2010, teve o apoio de Alckmin para deputado estadual. Com o uniforme da CBF, saiu fantasiado de manifestoche em 2016 nas manifestações do MBL.

Recentemente, exonerou de Renato Oliveira, ex-coordenador do MBL, da secretaria de comunicação, por ter cometido um atentado contra a vida de um jornalista na cidade.

Renato Oliveira, acusa de tentar matar um jornalista, e o chefe Ney Santos em protesto do MBL
Ney Santos, prefeito do Embu, na Paulista “contra a corrupção”
x