TJ-BA lavou dinheiro da corrupção com coleta de lixo, suspeita PGR

Publicado em 29 novembro, 2019 7:03 pm
Tribunal de Justiça do Estado da Bahia
Foto: Divulgação

Do Globo:

A Procuradoria-Geral da República aponta indícios de que recursos desviados no esquema de corrupção no Tribunal de Justiça da Bahia foram lavados por meio de uma empresa de coleta de lixo. A MM Consultoria Construções e Serviços, do empresário José Marcos de Moura, venceu licitações de coleta de lixo no oeste baiano, região onde se concentram as suspeitas de grilagem por meio de decisões judiciais dadas no esquema de corrupção. A empresa atualmente também é responsável por parte da coleta de lixo da Prefeitura de Salvador.

Relatório financeiro do Coaf detectou movimentações financeiras suspeitas entre o filho de um ex-desembargador e a empresa MM Consultoria Construções. Segundo a PGR, o Coaf “traz ligações de movimentações suspeitas na ordem de R$ 9,7 milhões, vinculando-a à MM Consultoria Construções e Serviços e seu sócio-administrador José Marcos de Moura, vencedores de milionária licitação de coleta de lixo na região investigada, a transparecer a existência de mecanismo para lavagem de ativos criminosos”. O caso está investigado na Operação Faroeste, deflagrada na semana passada pela Polícia Federal em conjunto com a PGR.