VÍDEO: “Querem me culpar pelas 200 e tantas mil mortes”, diz Bolsonaro em dia de recorde de óbitos

Publicado em 2 março, 2021 10:33 pm

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se eximiu de qualquer culpa diante dos mais de 250 mil mortos pela Covid-19 no Brasil, no dia em que o país registrou 1.726 mortes pela doença, número recorde desde o início da pandemia,

“Querem me culpar pelas 200 e tantas mil mortes”, afirmou Bolsonaro, em conversa com apoiadores, na entrada do Palácio da Alvorada.

“O Brasil é o 20º país do mundo em mortes por milhão de habitantes. A gente lamenta? Lamentamos. Mas tem outros países com IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), renda e orçamento melhor que o meu em que morre mais gente”, explicou.

Na conversa com apoiadores, o presidente voltou a defender o tratamento precoce de covid-19 e a criticar o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

“E por que está morrendo menos gente aqui? Tem que ter uma explicação. Seria o tratamento precoce?”, perguntou. “Se ficar em casa até sentir falta de ar, como dizia o sr. Mandetta, você vai para o hospital para ser intubado. E, se for  intubado, você sabe, né? Em torno de 60% a 70% das pessoas infelizmente entra em óbito”, disse Bolsonaro. “Devemos  investir em UTI, sim. Que salve 1%, mas você tem de investir em UTI”, acrescentou.

“Segundo o STF, isso cabe a governadores e prefeitos. Lockdown não é culpa minha: é de governadores e alguns prefeitos”, afirmou.

Na verdade, a Corte deu autonomia apenas para que governadores e prefeitos montassem planos de ação contra a pandemia de covid-19.

Veja abaixo:

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!