Está na cara que Trump forçou a barra para sair do hospital. Por Fernando Brito

Publicado originalmente no blog do autor

Por Fernando Brito

Donald Trump
REUTERS/Kevin Lamarque

Qualquer um percebe, pelas notícias confusas, pelos tratamentos experimentais e pelo gaguejar das equipes médicas que o atendem que Donald Trump “forçou a barra” para sair do hospital naval Walter Reed antes do que seria prudente.

Trump enfrenta uma batalha por sua vida que é muito mais perigosa, para ele, que a possibilidade – relativamente baixa – de que venha a ter complicações maiores com a infecção, que é a batalha por sua vida política, que não sobreviverá a uma derrota eleitoral que se desenha com traços cada vez mais fortes.

Ele segue menosprezando a pandemia : “Don’t be afraid of Covid. Don’t let it dominate your life” (não se amedrontem com a Covid, não deixe que ela domine sua vida), disparou pelo Twitter.

Claro, algo que matou, até gora, mais de 210 mil norte-americanos não é algo para preocupar.

O que Trump pretende, está claríssimo, é mostrar-se o “valentão”, o corajoso, que sobrevive a tudo, enquanto Joe Biden, escondido atrás de máscaras, seria o estereótipo da fraqueza.

O “John Wayne” do coronavírus.

No entanto, uma pesquisa da CNN que acaba de ser divulgada diz que 63% dos norte-americanos acham que ele trata a doença de forma irresponsável com as pessoas que estão em torno dele, no governo. E nada menos que 69% não acreditam ou acreditam pouco no que é liberado como informação oficialmente pela Casa Branca.

Trump volta para a Casa Branca, hoje. Mas parece ser inevitável que volte logo, também, para sua própria casa.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!