Estado de Direito no Brasil mal é um pedregulho graças, também, à Folha. Por Luis Felipe Miguel

Jornal Folha de S.Paulo. Foto: Reprodução/YouTube

Publicado originalmente no perfil do autor no Facebook

POR LUIS FELIPE MIGUEL, cientista político

Folha faz hoje um editorial “forte” contra o presidente cuja eleição ela tanto apoiou.

Fiel à mitografia que criou para si mesma, coloca-se como pura representante da intrépida imprensa que desafia todos os poderes. A frase que abre o texto é: “Ao completar 99 anos de fundação, esta Folha está mais uma vez sob ataque de um presidente da República”.

Há apenas um trecho que, com enorme esforço e boa vontade, pode ser lido como esboço de início de tentativa de sugestão de envergonhada autocrítica: “Frustraram-se, faz tempo, as expectativas de que a elevação do deputado à suprema magistratura pudesse emprestar-lhe os hábitos para o bom exercício do cargo”. Estaria a Folha entre aqueles que esperavam uma miraculosa transformação de Bolsonaro e colheram frustração?

Nem isso, na verdade. Vazado no tom altissonante e cafona que, não sei bem por quê, é padrão nos editoriais da grande imprensa brasileira, o texto prefere exaltar a Folha por integrar “o aparato que evita a penetração do veneno do despotismo no organismo institucional”.

A Folha, que deu sua contribuição para cada passo no processo de destruição da democracia e dos direitos no Brasil nos últimos anos – honrando, aliás, seu passado, já que fez o mesmo durante a ditadura de 1964.

A Folha, que age incansavelmente para bloquear o debate sobre o papel do Estado e sobre os direitos da classe trabalhadora, a fim de viabilizar o maior retrocesso de nossa história para a maioria da população.

A Folha, que apesar das escaramuças com Bolsonaro, não recua um milímetro do apoio à política destrutiva de Guedes, fazendo o que for necessário, inclusive – e sobretudo – manipular a informação. Basta ver, aliás, a cobertura sobre a greve dos petroleiros.

No trecho mais brega de todo o editorial, é dito que Bolsonaro tenta “desafiar o rochedo do Estado democrático de Direito”, mas “não tem conseguido conspurcar a fortaleza”.

Que rochedo? Que fortaleza?

O Estado democrático de Direito no Brasil hoje mal é um pedregulho.

Graças, também, à Folha – entre muitos outros. A Folha que endossou a campanha sórdida contra Dilma, o PT e a esquerda em geral, a Folha que cevou o golpe, a Folha que incentivou a conspiração contra a democracia chamada Lava Jato, a Folha que ignorou a violação de garantias básicas sempre que lhe interessava, a Folha que fez o que pôde para naturalizar o fascismo como opção política.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!