“Estamos assistindo uma catástrofe em Manaus”, diz neurocientista

Segundo o governador Wilson Lima, está ocorrendo “algo sem precedentes no Estado do Amazonas” – AFP

Ricardo Parolin Schnekenberg, doutor em Emergência e Neurociência Clínica, foi às redes sociais, nesta quinta (14), denunciar o descaso e o crime cometido pelo governo Bolsonaro ao permitir a catástrofe que ocorre em Manaus com a falta de oxigênio hospitalar.

No Twitter, Schnekenberg escreveu:

Vou ser bem claro: o que está acontecendo em Manaus e em outras cidades brasileiras era evitável com medidas factíveis para nossa realidade brasileira. Sem coordenação nacional o controle epidêmico é impossível, e o Ministério da Saúde sempre soube disso. Estamos assistindo uma catástrofe.

Ignorância não pode ser alegada por aqueles no mais alto escalão do cuidado da saúde nacional, com acesso a dados precoces e relatórios de organizações internacionais, além de especialistas a disposição em qualquer tema. Foi descaso. É crime.

Em 16 de Março de 2020 o Imperial College publicou o famoso relatório que já mostrava que uma estratégia de expansão de sistema hospitalar não seria viável frente a expensão exponencial no número de casos graves. Especialistas estão avisando isso todo santo dia há >9 meses.

Mais cedo o pesquisador Jesem Orellana, da Fiocruz-Amazônia, anunciou que o ‘oxigênio acabou e hospitais de Manaus viraram câmara de asfixia’.

O governador do Amazonas, Wilson Lima, classificou a situação como “dramática”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!