Estátua da Liberdade da Havan é “pastiche e afronta”, diz arquiteto agredido por Luciano Hang por abaixo assinado em Canela (RS)

Estátua da Liberdade fake. Foto: Havan/Divulgação

A ESTÁTUA DA LIBERDADE (em maiúsculas mesmo) é um grande monumento localizado nos USA. Símbolo de Nova Iorque, foi declarada pela Unesco como Patrimônio da Humanidade em 1984. Simboliza a liberdade, a democracia e a esperança do povo estadunidense.

Representa a deusa romana da liberdade. Sustenta uma tocha erguida na mão direita, e na esquerda segura a Declaração da Independência dos Estados Unidos de julho de 1776.

Projetada pelo escultor francês Fréderic Auguste Bartholdi, foi construída em cobre, aço e concreto pelo engenheiro Gustave Eiffel o mesmo que projetou e construiu a Torre Eiffel em Paris. Foi oferecida aos Estados Unidos pelos franceses, em 1886, em comemoração ao centenário da independência do pais.

Já a estátua da liberdade (com minúsculas), símbolo de uma loja de departamentos brasileira, não passa de um pastiche e do complexo de inferioridade de boa parte dos brasileiros que desprezam os nossos símbolos e enaltecem tudo o que é exótico.

A cidade de Canela irá receber uma filial daquele empreendimento, plano já aprovado como “especial”, desviando assim de maiores análises e discussões.

Trata-se uma mega loja de departamentos, que, por sua localização na entrada da cidade, irá gerar um grande impacto urbanístico, além de um impacto econômico ao competir com o comércio local.

Por outro lado, pelo simbolismo, será uma afronta ao contexto histórico e paisagístico de Canela, através da edificação de uma réplica da famosa estátua novaiorquina.

Objeto estranho à história da cidade de Canela, prestará um desserviço à cultura e à educação dos canelenses, ou seja, uma violência simbólica.

Inconformados com a possibilidade de implantação da mesma, organizamos um abaixo assinado (ainda em circulação), com o respaldo do IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil), encaminhado ao prefeito municipal, com a intenção de impedir tamanha atrocidade na paisagem da cidade, logo na entrada de Canela.

Um dia após o encaminhamento desse documento à prefeitura, com quase duas mil assinatura, fomos surpreendidos pela manifestação desproporcional do empresário dono do empreendimento, vociferando contra nossa iniciativa e conferindo à sua grosseria um caráter pessoal, calunioso e ameaçador.

Em um discurso claramente de ódio, desqualifica uma iniciativa a qual todo cidadão tem o direito, especialmente em se tratando de alguém com a formação de arquiteto, com uma longa trajetória na área do urbanismo.

Diante desse fato, já conto com o apoio do Conselho de Arquitetos e Urbanistas(CAU), bem como do Instituto dos Arquitetos do Brasil, pois além da minha pessoa, o vídeo é ofensivo à categoria profissional.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!