Este homem ganhou R$ 17 milhões no pôquer

O americano Greg Merson, de 24 anos, sagrou-se na última quarta feira o novo campeão mundial do esporte.

Ele superou um vício em heroína e cocaína para chegar lá

Você está vendo essa montanha de dinheiro na foto acima? É o prêmio que o americano Greg Merson, de 24 anos, recebeu ao vencer a World Series of Poker (WSOP), o campeonato mundial da categoria. Até três dias atrás, Merson acumulava uma premiação de US$ 1,3 milhão em sua carreira de profissional das cartas. Com a vitória última quarta feira em Las Vegas, ele acrescentou US$ 8,5 milhões à sua conta bancária. (Bem, para ser mais exato, US$ 4,9 milhões, pois 43% do dinheiro ele será obrigado a pagar em impostos ao governo dos Estados Unidos.)

Mas não pense que sua trajetória em busca desta cifra foi simples: ele teve de superar 6 597 adversários. A maratona começou no dia 7 de julho Rio All Suite Hotel & Cassino, durou 10 dias seguidos até que o número de competidores ficasse resumido a nove, recomeçou nesta segunda-feira e só foi terminar na manhã de quarta feira. A última etapa da batalha, em que ele disputou o título com os também americanos Jesse Sylvia e Jake Balsiger, durou 11 horas seguidas. Até que Merson apostou todas as suas fichas com K5 antes do flop, Jesse pagou com QJ — e um board com 6♣396♠7♣ decretou a vitória dele.

“Nunca em minha vida imaginei que isso pudesse acontecer comigo”, afirmou Merson após a final. “São muitas emoções… E eu poderia muito bem não estar vivo agora, não é um exagero dizer isso.” O motivo de sua declaração é que ele já foi viciado em heroína e cocaína. Merson não foi o único, no entanto, a registrar um faturamento milionário no torneio; outros seis jogadores da mesa final também saíram da mesa com 7 dígitos na carteira. A premiação final ficou assim:

1. Greg Merson – US$ 8 531 853
2. Jesse Sylvia – US$ 5 295 149
3. Jake Balsiger – US$ 3 799 073
4. Russell Thomas – US$ 2 851 537
5. Jeremy Ausmus – US$ 2 155 313
6. Andras Koroknai – US$ 1 640 902
7. Michael Esposito – US$ 1 258 040

Mas não só eles engordaram a conta com a WSOP. Além do evento principal, a série contou com outros 60 torneios paralelos, que reuniram mais de 74 mil jogadores e distribuíram US$ 222 milhões. O destaque deles foi o inédito “Big One for One Drop”, idealizado pelo dono do Cirque do Soleil Guy Laliberté e com caráter filantrópico, que reuniu 48 jogadores pagando uma inscrição até então inédita na história do pôquer de US$ 1 milhão. O seu vencedor, o iraniano Antonio Esfandiari, saiu com US$ 18,3 milhões da brincadeira.

Apesar de Esfandiari ter embolsado mais que o dobro da premiação dos quatro Grand Slams do tênis somados (que chegam juntos a US$ 7,6 milhões), não há discussão de que o troféu (em forma de um bracelete de platina, craveja de diamantes e pedras preciosas) mais prestigioso é o de Merson. Foi neste torneio que os maiores ícones do carteado — homens como Johnny Moss, Doyle Brunson e Stu Ungar — coroaram suas carreiras. E agora este americano de 24 faz parte deste panteão de lendas do pôquer.

O troféu de Merson: um bracelete de platina, cravejado de diamantes e pedras preciosas