Ex-diretor de Faustão vetou Ricky Martin na Globo por causa de Gugu

De Sandro Nascimento no site NaTelinha.

Devido à concorrência com Gugu Liberato, que apostava no filão do jornalismo com entretenimento na guerra de audiência entre Globo e SBT nas tardes de domingo em 1998, o jornalista Alberto Luchetti assumiu a direção do “Domingão do Faustão” para implantar um novo formato no programa.

“Eu fui contratado pela Globo por causa do Mamonas Assassinas, que o Gugu colocou repórter de entretenimento na rua quando caiu o avião. A Globo, como todo domingo, dorme. Eles estão com um programa enlatado que é o ‘Fantástico’ e não deixam ninguém fazer absolutamente nada. Mas eles esqueciam que o Gugu podia furar, e foi o que aconteceu. Teve essa mudança de entendimento e eles me chamaram pra fazer o jornalismo de domingo”,conta o ex-diretor do “Domingão” em conversa exclusiva com o NaTelinha.

Por quatro anos, a atração do Fausto Silva ficou sob sua responsabilidade, e nesse período, buscando sair do previsível, revelou inúmeros talentos do cenário artístico, dentre eles, Padre Marcelo Rossi, Bruno e Marrone e Frank Aguiar. Isso aconteceu por causa do “Domingo Legal”. Luchetti vetou no “Domingão” os melhores chamarizes de audiência entre as décadas de 90 e 2000: as duplas sertanejas.

“Eu precisava sair fora desses caras, se não viraria escravos deles, iam num domingo lá e outro no Fausto. Foi aí que fui descobrir novos talentos”, explica Luchetti, que antes de ser convocado pela Globo, exercia a função de diretor de jornalismo da Band e teve passagens por Folha de S.Paulo, Estadão e Jovem Pan.

Numa época onde a briga pela audiência era mais acirrada entre SBT e Globo, Alberto chegou a vetar a divulgação do novo CD de Ricky Martin, porque o cantor internacional iria se apresentar também no programa de Gugu Liberato, 40 dias depois de aparecer no canal carioca.

A consequência da proibição foi que Ricky Martin se apresentou com exclusividade no “Domingo Legal” e Luchetti transformou o apresentador Clodovil Hernardes numa arma na disputa com o astro latino.

“Metemos 40 contra 10. O sucesso foi tão grande que eu comprei um CD do Ricky Martin e mandei um café da manhã para o Clodovil dizendo: ‘Clodovil, como você apagou o lançamento do CD do Ricky Martin e ninguém vai saber que ele lançou um disco no Brasil, estou mandando pra você'”, recorda o jornalista, que saiu da atração por divergências com Faustão.

Para Alberto Luchetti, atualmente os programas de domingo na TV apostam na mesmice da choradeira e do sensacionalismo barato, e pra sair disso, deveriam recorrer à descoberta de novos talentos.

(…)

Faustão e Alberto Luchetti. Foto: Reprodução/NaTelinha

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!