Exclusivo: Russomanno emprega esposa de seu motorista que matou pai de família em Iguape

Patrícia Oliveira trabalha com Celso Russomanno desde, pelo menos, 2011

O candidato a prefeito de São Paulo Celso Russomanno (Republicanos) empregou em seu gabinete parlamentar por quatro anos (de 2016 até fevereiro de 2020), emprega atualmente em sua equipe de campanha e indicou a um cargo no Procon de São Paulo a jornalista Patricia Pacheco Rubino de Oliveira. Ela é esposa de Adriano Anders, seu motorista da campanha para deputado de 2014, que dormiu ao volante, atropelou e matou um motociclista, chamado Marcelo Borges, em uma rodovia próxima ao município de Iguape, no litoral sul paulista.

À época, conforme revelou o DCM no mês passado, Russomanno foi até o restaurante do pai da vítima e prometeu a ele que iria cuidar da segurança financeira da filha do homem morto pelo seu motorista, em uma espécie de comício improvisado no estabelecimento dos pais enlutados e da criança órfã, às vésperas da eleição de 2014.

Sem que ninguém da família tivesse pedido qualquer coisa, prometeu abrir poupança para a menina e garantir o custeio de sua faculdade no futuro, só para desaparecer após a eleição e nunca cumprir com a palavra (veja entrevista ao final dessa reportagem).

Quem Russomanno ajudou de fato foi o seu motorista que dormiu ao volante e a sua família. Pagou os advogados do responsável pelo acidente, conseguiu livrá-lo do crime de homicídio culposo e deu emprego à sua esposa em seu gabinete na Câmara dos Deputados, com salário de R$ 5.000. A contratação foi efetivada no dia 18 de novembro de 2016, de acordo com a própria página do parlamentar na internet, ou em 2015, de acordo com as redes sociais da própria Patricia. Ainda segundo suas redes, ela trabalha com Russomanno desde, pelos menos, 2011.

Pagina de Patricia Oliveira em uma rede social mostra que ela trabalha com Russomanno tanto em Brasília como no programa “Patrulha do Consumidor”, na TV Record

Após a divulgação da reportagem do DCM sobre o episódio, Adriano Anders apagou de suas redes sociais todas as menções a Celso Russomanno. Suas únicas postagens remanescentes sobre política são de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Já as fotos com sua esposa Patricia Oliveira estão todas lá, ou estavam, até a publicação desta reportagem, conforme pode se ver abaixo.

Adriano Anders é evangélico e cidadão de bem

A esposa do motorista que matou Marcelo Borges, por sua vez, expõe orgulhosa em suas redes sociais os trabalhos que desenvolve até hoje para Celso Russomanno. No dia 18 de outubro deste ano, por exemplo, postou uma foto (devidamente “curtida” pelo marido Adriano) junto com Celso Russomanno (ao fundo na imagem), em uma agenda de campanha.

Nesta sexta-feira (13), o DCM conversou novamente com o senhor Nélio Rocha Borges, o pai da vítima, que foi enganado por Russomanno em 2014. “Como é que pode? Então agora estamos todos pagando com nossos impostos para essa família continuar vivendo bem, como se nada tivesse acontecido?”, indagou ele, completando: “Mas todos irão responder a Deus. Não quero nada dessa gente, só queria fazer justiça à memória do meu filho e alertar o povo de São Paulo sobre quem é Celso Russomanno”.

Veja, abaixo, a entrevista de Nélio Borges ao DCM, em que ele conta em detalhes como Russomanno fez promessas à sua família e nunca mais apareceu após as eleições. As imagens são do jornalista cinematográfico Luís Simione.