Fabrício Carpinejar: Carrefour cria novo sinônimo para assassinato

Funcionários do Carrefour assassinam João, um homem negro. Foto: Reprodução

Publicado originalmente no Facebook do autor:

Por Fabrício Carpinejar

Agora temos um novo sinônimo para matar: imobilizar.

João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, o Beto, tamboreiro da Vila Farrapos, pai brincalhão de quatro filhos e uma enteada, torcedor do São José, linchado cruelmente até o seu estertor na noite de quinta (19/11), no Carrefour, em Porto Alegre (RS), foi “imobilizado” de acordo com os seus assassinos, o segurança e o policial militar.

Ele era perigoso porque era negro. Soldador de portões, não teve saída emparedado por agentes dispostos a silenciar a sua versão dos acontecimentos.

Não queriam apenas assustar, mas apagar o arquivo, eliminar o contraditório, desaparecer com as provas.

É a pena de morte aplicada fora da lei, pelo racismo estrutural. Não importa se ele apresentava ou não uma ficha criminal, nada justifica o extermínio.

Assim como o Brasil já cunhou o “estupro culposo”, que é a agressão sexual sem intenção, assistimos ao nascimento de outro eufemismo, que significa matar para conter a reação de alguém, até a vítima ficar definitivamente parada, até a vítima não se mexer nunca mais, até afrouxar os braços e se despedir desprovida do adeus.

É a imobilidade total do cadáver.

Joelho no pescoço para a pessoa não poder mais respirar, para a pessoa não ter nem voz de socorro e de compaixão, para a pessoa não transparecer mais nenhum fio de sopro de sua existência, para calar de vez a sua boca.

Imobilizar é um inédito verbete no jargão da nossa impunidade.

Só que João continuará se mexendo dentro de nossas consciências, não há mais como segurá-lo. Não inventaram ainda um jeito de amarrar a alma, de aprisionar a verdade.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!