Fachin é autor da frase do ano: “Houve procedimentos heterodoxos, mesmo que para finalidade legítima”

Edson Fachin
Ele

A frase do ano é de Edson Fachin no julgamento da liberdade de Lula na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, ocorrido nesta terça, dia 4.

“Não deixo de anotar que houve procedimentos heterodoxos, mesmo que para finalidade legítima”, disse o ministro em seu voto.

Trocando em miúdos, os fins justificam os meios.

É isso, professor?

Seria interessante Fachin explicar os que é essa heterodoxia toda e, mais do que isso, a tal “finalidade legítima”.

Prender Lula? Retirá-lo da parada?

Foi uma semana pródiga em confissões.

Sergio Moro brilhou num seminário promovido pela Fundação Internacional para a Liberdade, em Madri, presidida pelo escritor peruano Mario Vargas Llosa.

“Durante estes quatro anos [de atuação na Lava Jato], me perguntei se não tinha ido longe demais na aplicação da lei, se o sistema político não iria revidar”, falou.

Bem, é evidente que foi longe demais.

Em Ilhabela, Toffoli afirmou que “é hora de o Judiciário se recolher. É preciso que a política volte a liderar o desenvolvimento do país e as perspetivas de ação”.

Ora. Por que não se recolheu antes?

2019 promete.

 

Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui.

Clique aqui e assine nosso canal no youtube

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!