Fátima Bernardes chora ao vivo na Globo com depoimento de vítima de abuso sexual no programa Encontro da Globo

Do TV Foco:

Eva Luana, a jovem de 21 anos que viralizou na internet ao relatar as torturas e abusos sexuais sofridos pelo padrasto nos últimos anos, emocionou Fátima Bernardes e os convidados do “Encontro com Fátima Bernardes” de hoje. Durante todo desabafo, Eva chorou muito no programa e contou com a presença do namorado, Mateus, que a incentivou a denunciar os abusos.

Fátima Bernardes quis saber de onde a moradora de Camaçari, na região metropolitana de Salvador, tirou forças para fazer o relato que viralizou nas redes sociais na ultima terça, 19.

“Infelizmente, não posso dizer que eu tive força para denunciar. Eu não fiz por coragem, fiz por medo, porque já estava em um nível tão extremo, estava me sentindo tão ameaçada e perseguida que eu falei: ‘Se acontecer alguma coisa comigo, a minha mãe e a minha irmã precisam estar seguras… Se for para morrer de qualquer jeito, que eu morra lutando, então eu decidi contar”, relatou Eva.

“É muito difícil você passar por isso e fingir para todo mundo. As pessoas não compreendiam, me achavam estranha. Às vezes, até metida. Não estava mais aguentando a pressão das pessoas por eu ser diferente e também por eu não poder fazer nada. Eu me sentia uma fraca por ver tudo aquilo acontecendo e sem conseguir lutar. A força veio da fraqueza”, ressaltou.

Fátima Bernardes se emocionou ao vivo. Já a atriz Claudia di Mauro se emocionou bastante. “Começo pedindo perdão pra você em nome de todas nós mulheres. Só não vou pedir pedir em nome do Estado porque o Estado falhou, tem falhado muito com todas nós. A gente não quer apanhar por quatro horas, a gente não quer ser mordida, ser humilhada. A gente tem direito a proteção. A sua voz é um grito de liberdade, só você sabe o quanto te custou isso”.

“Eu passei em outras faculdades, inclusive uma estadual e outra fora do país, em Coimbra, Portugal. Ele não permitiu que eu fosse. Um ano antes de entrar na faculdade, ele começou a fazer o mesmo curso que eu, então, até lá, onde eu poderia me sentir segura, ele estava.” Luna também relatou que o padrasto invadia a sala de aula para pegar seu celular sem ela estar esperando e que tinha sempre que sair antes da aula acabar e chegar muito atrasada.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!