“Faturamento das empresas que vendem remédios ineficazes contra a Covid-19 ultrapassou R$ 500 MILHÕES”, diz Randolfe

Vice-presidente da CPIPANDEMIA, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), concede entrevista e fala sobre ações das comissão.
Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado

O senador Randolfe Rodrigues (Rede), usou o Twitter neste domingo (18) para mostrar que as empresas que vendem remédios ineficazes contra a Covid-19 já ganharam mais de R$ 500 milhões com este negócio.

ASSISTA: Sabadão do DCM – Bolsonaro ataca Lula do hospital; Randolfe vê “falso testemunho” de Pazuello

“ATENÇÃO! A CPI da Pandemia descobriu algo importante, apesar de não ser surpresa. O faturamento das empresas que vendem remédios ineficazes contra a Covid-19 ultrapassou R$ 500 MILHÕES. E isso contou com uma estratégia de anúncios e propagandas muito bem remuneradas”, iniciou o senador, que faz parte da CPI da Pandemia, que vem investigando as irregularidades praticadas pelo governo de Jair Bolsonaro durante a compra de vacinas.

MAIS – “Falso testemunho é o menor dos crimes dele”, diz Randolfe sobre Pazuello

E Randolfe foi além, falando sobre a Associação Médicos Pelo Brasil. “Quem lembra da Associação Médicos pelo Brasil? Sim! Aquela que divulgava anúncios em defesa do “tratamento precoce”. Pois bem, a CPI descobriu que a Farmacêutica que produz a Ivermectina bancou anúncios “pró-tratamento precoce” da associação”, mostrou o senador ao compartilhar uma reportagem da Folha sobre o assunto.

De acordo com o Jornal, os anúncios que foram publicados em diversos veículos de comunicação, inclusive a própria Folha, foram bancados pela Vitamedic, produtora de cloroquina.

E Randolfe explicou isso em sua thread. “A Vitamedic é uma das maiores produtoras de ivermectina. A venda do medicamento cresceu 1230% em 2020 em relação a 2019. Estima-se que a empresa tenha arrecadado R$ 734 milhões só com esse medicamento do “kit Covid” nesse período. Isso tudo com apoio do grupo Médicos Pela Vida”, cravou.

O senador, que vem se destacando nas investigações de corrupção na gestão da pandemia do governo Bolsonaro defendeu os trabalhos da comissão. “CPI está no caminho certo. Estamos descobrindo quem estava e está por trás de uma gestão completamente ineficaz no Ministério da Saúde em relação, especialmente, à pandemia, que já nos custou mais de meio milhão de vidas do povo brasileiro. Não vamos parar!”, garantiu.

A CPI da Pandemia entrou em recesso parlamentar e deve retornar aos trabalhos em agosto. Dias antes de anunciar o recesso, no entanto, o presidente da Comissão, Senador Omar Aziz (PSD), confirmou a prorrogação dos trabalhos por mais 90 dias.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!