Franceses recebem dinheiro para trocar carros por bikes elétricas

Publicado no CicloVivo

Foto: Kazuo Ota | Unsplash
Por Natasha Olsen

A França está investindo em ações que ajudam a combater as mudanças climáticas, entre elas a escolha por meios de transporte mais sustentáveis. Donos de carros antigos poderão receber do governo um subsídio de até 2,5 mil euros para trocar o veículo por bicicletas elétricas.

“Pela primeira vez, reconhece-se que a solução não é tornar os carros mais verdes, mas simplesmente reduzir seu número”, comemora Olivier Schneider, da Federação Francesa de Usuários de Bicicletas.

Estudos já mostraram que o foco em veículos elétricos pode estar inclusive atrasando a corrida contra as emissões de gases de efeito estufa e, consequentemente, contra as mudanças climáticas.

Com a pandemia, as bicicletas têm ganhado cada vez mais espaço como meio de transporte seguro e sustentável e muitas cidades pelo mundo vão manter e ampliar as mudanças para que as bikes sejam uma opção cada vez mais presente no dia a dia das pessoas.

“Estamos vendo um aumento bem-vindo nos incentivos autônomos para a compra de bicicletas, mas a Assembleia Francesa deixou claro que as e-bikes e as bicicletas de carga devem ser apoiadas como substitutos de veículos. Todo governo precisa reconhecer que são as indústrias de ciclismo da Europa que estão liderando o mundo na mudança para a e-mobilidade”, reforça o presidente-executivo da Cycling Industries Europe, Kevin Mayne.

Priorizar as bicicletas ao invés dos carros elétricos é inclusive mais barato. Uma pesquisa realizada no Reino Unido mostrou que o “o custo de economizar um quilo de CO2 por meio de esquemas para aumentar o uso de bicicletas elétricas é menos da metade do custo de subsídios existentes para veículos elétricos”.

É importante ressaltar ainda que a pegada de carbono dos carros elétricos não está ligada apenas às emissões de gases de efeito estufa durante o uso do produto, mas também às emissões relacionadas ao ciclo de vida do produto.

Um estudo comparando os ciclos de vida de carros elétricos, híbridos e movidos à combustão com as bicicletas elétricas deixa bem claro o impacto de cada escolha. A cada quilômetro rodado uma bicicleta emite 22 gramas de gases de efeito estufa. Um carro elétrico (Nissan Leaf) emite 104 gramas, um carro híbrido (Toyota Prius) emite 168 gramas e um carro que usa gasolina emite em média 258 gramas de gases de efeito estufa por quilômetro rodado.

Outros países também incentivam a mudança

A troca de carros por bicicletas ou bicicletas elétricas é uma grande ferramenta no combate às mudanças climáticas, além de trazer benefícios para a saúde e qualidade de vida da população.

Por isso outros países tem incentivado, inclusive com o pagamento de subsídios esta mudança. A Finlândia faz isso há algum tempo, e já financiou mais de 2.000 e-bikes. A Itália oferece um subsídio de € 500 para a compra de bicicletas. E Lisboa, em Portugal, lançou um programa de apoio a quem quer comprar uma bicicleta.

A cidade tem o Programa de Apoio à Aquisição de Bicicleta que inclui não só a compra das bikes, mas também de acessórios e reparos. Tudo para impulsionar a população a aderir a este meio de transporte.

Em 2020, o município ajudou seus moradores na aquisição de 2157 bicicletas convencionais, 1136 bicicletas elétricas, 11 bicicletas elétricas de carga e 1 bicicleta adaptada elétrica.

Além disso, o serviço de bicicletas partilhadas de Lisboa deve ser expandido. Já foram compradas 700 novas bicicletas mais mil unidades estão em processo de concurso. O número de estações também já cresceu, sendo 30 já inauguradas e outras 50 previstas para 2021.