Funcionárias fazem B.O contra Prefeitura de SP por racismo após evento da Consciência Negra. Por Anderson Moraes

Centro de Referência e Promoção de Igualdade Racial. Foto: Divulgação

Publicado originalmente pelo Jornal Empoderado:

POR ANDERSON MORAES

Conversamos com Karina A. Lopes (advogada) e a  Fabiana Cardoso da Silva (assistente Social), ambas acusam o Centro de Referência e Promoção de Igualdade Racial (órgão público, ligado à Secretaria Municipal de Direitos Humanos da Cidade São Paulo), da Zona Norte, de demiti-las por discordarem de Rosangela Crepaldi, presidente da ONG Braços Fortes“, em evento comemorativo em alusão ao feriado de 20 de novembro, dia da Consciência Negra.

Entenda o Caso

Karina A. Lopes (advogada) disse ao Empoderado  que juntamente com Fabiana Cardoso da Silva (assistente Social) são contratadas por regime de CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) pela ong Braços Fortes que prestavam serviço para o Centro de Referência.

Em uma roda de conversa no dia 29 de novembro devido ao dia 20 de Novembro (O Dia Nacional da Consciência Negra. Data da morte de Zumbi dos Palmares, um símbolo negro contra a escravidão) com a participação e condução dos trabalhos por Karina A. Lopes (advogada) e a Fabiana Cardoso da Silva (assistente Social).

Durante a conversa a presidenta legal da ONG “Braços Fortes“, a Rosangela Crepaldi, que administra vários serviços de parcerias com a Prefeitura de São Paulo, dentre eles o Centro de Igualdade Racial da Zona Norte teceu o seguinte comentário: “Na minha opinião deveria existir dia da Consciência Humana e não dia da Consciência Negra”.

As funcionárias ouviram educadamente os comentários da presidente da ONG e mesmo discordando da opinião de Rosangela Crepaldi em nenhum momento a interromperam ou criaram qualquer clima de animosidade.

E após Rosangela tecer seu comentário as funcionárias Karina e Fabiana, que conduziam a “roda de conversa”, foram expor com argumentos fundamentados em em bases históricas e sociais a importância do dia 20 de novembro, para a população negra.

Foi quando durante a fala de karina e Fabiana que Rosangela Crepaldi levantou-se, dirigiu-se a área interna do Centro de Referência e pediu a demissão das funcionárias.

Porém, as mediadoras da roda de conversa só souberam de suas demissões no início da semana. karina foi demitida na segunda-feira (02/12/2019) e Fabiana na terça-feira (03/12/2019), pois elas trabalhavam em dias diferentes. As demissões foram feitas pelas coordenadoras: Denise Vieira e Patricia Veloso.

O que causou perplexidade, nestas demissões, foi que as coordenadoras do Centro de Referência: Denise Vieira e Patricia Veloso, sempre confiaram em Karina e Fabiana a ponto de incentivarem que elas coordenasse os eventos com temática racial devido às suas experiências. As coordenadoras nunca colocaram restrições na forma da condução destes eventos. E, agora, demitiu as funcionárias sem uma explicação justificável.

Karina falou ao Empoderado que elas acreditam que houve intolerância por parte da presidente, da Ong, já que não existiu embate e nem agressões verbais que justificasse tal atitude.

Na visão de Karina e Fabiana a demissão só aconteceu porque elas discordaram da opinião da presidente da ONG Braços Fortes. Ou seja, um ato de Racismo institucional.

Deixamos aqui o objeto do Centro de Referência de Promoção da Igualdade Racial escrito na página da Prefeitura de São Paulo:

“O Centro de Referência de Promoção da Igualdade Racial presta atendimento e orientação multiprofissional em casos de discriminação racial. O serviço também oferece oficinas, debates, ações culturais e outras atividades relacionadas à promoção da igualdade, sendo um local permanente de valorização e respeito à identidade étnica no município de São Paulo.”

E tem como Serviços Oferecidos:

Com atendimento realizado por uma equipe multiprofissional – advogados, psicólogos, pedagogos e assistentes sociais – o Centro oferece acolhimento, atendimento e acompanhamento direcionados e gratuitos para as pessoas vulneráveis à discriminação racial, atuando em diálogo com organizações locais, coletivos, instituições de ensino, e órgãos como Defensoria Pública, Delegacia da Mulher, Delegacia de Polícia e Ministério Público. Além disso, busca garantir a promoção da igualdade racial e prevenção do racismo por meio da realização de cursos, oficinas, palestras e seminários.

Com a palavra o Centro de Referência, da Zona Norte

Entramos em contato com o Centro de Referência que nos respondeu:

Empoderado – Qual a motivo da demissão das ex-funcionárias, após o evento do dia da “Consciência Negra”, no dia 29 de novembro de 2019?

O Centro de Referência esclarece que as condutas das funcionárias não estavam de acordo com o esperado pela gestora. Insta salientar que a coordenadoria do Centro de Referência Racial já tinha tomado a decisão de desligar as ex-funcionárias anteriormente ao evento de “roda de conversa” ocorrida no dia 29 de novembro de 2019.
Empoderado – Existia alguma regra de conduta que as ex-funcionarias descompriram?
O Centro de Referência é gerido pela Associação Braços Fortes, que foi criada em 2002 com objetivo de semear amor, dedicação, igualdade e respeito de raças, através de uma equipe de colaboradores competentes, mas também amáveis. Contudo, a gestora observou posturas/diálogos radicais, afrontosos e que poderiam, inclusive, expandir o ódio. Diante disso, optou-se por fazer o desligamento das ex-funcionárias, competência que, inclusive, lhe foi conferida em termo de parceria com a administração pública. Vale mencionar que a ex-funcionária Karina Lopes havia sido contratada por período pré-determinado para cobrir licença maternidade de outra funcionária. 
Empoderado – Já aconteceu atos de indisciplina das ex-funcionárias no passado?

Conforme precitado acima, algumas condutas incompatíveis foram observadas, sendo assim, optou-se pelos desligamentos. Por fim, esclarece que jamais houve racismo institucional por parte da diretoria do Centro de Referência Racial, e que as demissões das ex-funcionárias não guardam relação alguma com a atividade de “roda de conversa” desenvolvida na data de 29 de novembro de  
Atenciosamente, 

A.D.R ADVOGADOS ASSOCIADOS
Adriano Dantas Rodrigues 

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!