Futebol com jogadores infectados por Covid é a cara do Brasil. Por Moisés Mendes

Daniel Alves, do São Paulo, reclamou em rede social querendo que a partida com jogadores infectados acontecesse. Foto: Reprodução/Instagram

Publicado originalmente no blog do autor

Há dezenas de textos na grande imprensa sobre o caso dos jogadores infectados do Goiás e a confusão criada momentos antes do jogo com o São Paulo.

Nenhum texto conta direito a sequência do que aconteceu.
O jornalismo está devendo uma das histórias mais escabrosas e reveladoras do que somos. Não é um caso que denuncia apenas os desmandos no futebol.

É um episódio revelador do caráter de um país, pela tentativa de esconder o surto, pelo desejo de jogadores do São Paulo de forçar a realização do jogo, pela esculhambação geral e pelos interesses criminosos de clubes, federações, patrocinadores, TVs e certos comentaristas.

___________________________________________________________________

SEM MÁSCARAS
Ampliam-se as suspeitas, os indícios e as evidências de que a grande imprensa gaúcha, sem exceção, aderiu sem máscaras ao bolsonarismo.

Não sobrou nada. Nem como disfarce. É um desastre.
Se as redações não estivessem vazias por causa da pandemia, seria constrangedor para a grande maioria não-bolsonarista.

___________________________________________________________________

PODER PARALELO
Os desacertos sobre o que fazer nos Estados e nas capitais exacerba os conflitos de interesse entre quem ainda tenta defender a saúde pública e quem impõe seus interesses econômicos.

A vitória do ponto de vista do poder empresarial expõe uma verdade perturbadora: governantes não governam mais nada.

A pandemia criou governos paralelos que prefeitos e governadores não conseguem enfrentar.

___________________________________________________________________

SUPLICY
O programa de renda mínima que Bolsonaro vai criar é uma ideia que Eduardo Suplicy defende há décadas.

A extrema direita vai viabilizar um programa pensado pelas esquerdas. Mas as esquerdas são boas pra pensar soluções.

___________________________________________________________________

MIMIMI
Só para que não seja esquecido. Acordos de perdão não valem nada. Tem que ser cadeia. Chega de mimimi.
Esse vídeo é esclarecedor. No link abaixo.

https://www.facebook.com/cezaraugustocarneiro.carneiro/videos/3620783541284913/]

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!