Ganhe o Desbolsonário de Bolso, um dicionário para tentar entender a cretinice reinante

O desbolsonário de bolso

Foi lançado o “Desbolsonário de bolso”, das filósofas Luisa Buarque e Marcia Sá Cavalcante Schuback, projeto gráfico de Brigita Gelžinytė.

A compilação do vocabulário bolsonarista contém expressões como “cidadão de bem”, “vai pra Cuba”, “kit gay” e “médico cubano”.

Tem verbetes como estes abaixo:

ANTIPETISMO. 1. Transtorno obsessivo compulsivo (ver crônica de Antonio Prata) que causa surdez seletiva, memória seletiva e miopia crônica. 2. Aversão a qualquer política que venha do Partido dos Trabalhadores (PT, donde se forma o substantivo masculino petismo, donde, anti-petismo). 3. Elitismo tradicional brasileiro. 4. Preocupação única com a chamada corrupção, isto é, unicamente com a corrupção de esquerda. 5. Posição contrária às decisões que beneficiam trabalhadores. 6. Anti-PT: Partido dos Trabalhadores, inimigo que precisa ser construído e eliminado para que o bolsonarismo possa se justificar como a força que reúne o “povo” e se apresenta como o salvador, o “protetor do povo” contra o “bandido e inimigo do povo”. A estratégia de construir um corpo, uma entidade para odiar de maneira a justificar a tomada de poder num regime totalitário é bem conhecida pela história. A novidade é o ódio a um “partido”. Por que odiar um partido? Será o ódio ao partido dos trabalhadores um ódio aos trabalhadores? O anti-petismo é, no fundo de sua superficialidade, um ódio a toda política que protege o trabalhador. É o ódio que exprime a vontade de continuar explorando o trabalhador mediante a ilusão de que, ao fazer do trabalhador o seu próprio gestor, ou seja, o seu próprio explorador, o trabalhador consegue emancipar-se do próprio trabalho. 7. Anti-petismo é uma estratégia de desatenção: chamando toda a atenção midiática para o ‘petismo’ e os ‘petralhas’, se deixa de prestar atenção ao fato de o bolsonarismo não possuir nenhum projeto de governo.

RELAÇÕES EXTERIORES. 1. Deus acima de tudo e Trump acima de todos. 2. Cruzada contra a Europa para a conquista do Ocidente. 3. Retorno dos “cavaleiros templários”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!