General que presidirá Petrobras foi chamado de “lunático” após aula que motivou pedido de desculpas

Anúncio da aula inaugural do general Luna na UFF

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou, nesta sexta-feira (16), a indicação do general Joaquim Silva e Luna ao cargo de presidente da companhia.

Ele havia sido indicado por Bolsonaro para substituir Roberto Castelo Branco no comando da estatal.

Em 2014, o Instituto de Estudos Estratégicos (Inest) da Universidade Federal Fluminense, UFF, promoveu uma aula inaugural com Silva e Luna, ex-chefe do Estado Maior do Exército.

Uma conta no Twitter relembrou como foi a apresentação, recuperando impressões dos alunos presentes.

De acordo com as testemunhas, ele terminou com uma música do tecladista Vangelis. Uma tragédia grega de um soldado que lembra um Silvio Santos do mundo bizarro:

General Luna, 01 da Petrobras. Há anos ele foi chamado para dar a aula inaugural num mestrado da UFF. Falou tanta barbaridade (“vivemos uma guerra cultural no Brasil”) q o coordenador do curso teve que pedir desculpas aos alunos. Foi carinhosamente apelidado de General Lunático.

Para o novo presidente da Petrobras, a seguinte imagem representa a guerra cultural.

ImagemSegundo ele, enquanto as pessoas se distraem (está óbvia qual a distração a que ele se refere de maneira bem machista), os inimigos aproveitam para que ninguém perceba o absurdo. Os inimigos são obviamente os governos do PT. Os absurdos provavelmente coisas como Fome Zero.

(sim, ele LITERALMENTE usou essa foto numa aula inaugural para alunos de graduação em relações internacionais e mestrado em estudos estratégicos).

Isso ainda no governo Dilma e ele general da ativa (se não me engano). Quebra de hierarquia? Magina…

Pra vocês verem que eu não tou de sacanagem. Reação de outra pessoa que também estava lá.

Imagem

Outra testemunha desse evento encontrou isso nas anotações dele dessa “aula”:

ImagemMuita gente perguntando qual o sentido de chamar um general pra aula inaugural. Bom, o curso era em estudos estratégicos. Em tese fazia sentido. Na prática deu muito errado. No final das contas aquilo foi o ambiente menos intelectualmente estimulante pelo qual passei.