Boulos e Haddad despontam nas pesquisas e formam cinturão progressista contra PSDB em SP

 

Alckmin e Kassab em reunião
Alckmin negocia com Kassad entrada no PSD

Geraldo Alckmin já não assusta como antes.

Fora do governo e escanteado por João Doria no PSDB, partido pelo qual dirigiu São Paulo 4 vezes, o ex-governador aparece embolado com Marcio França, Haddad e Guilherme Boulos na intenção de votos para o primeiro turno na eleição ao governo do estado.

LEIA também:

1. Fragilidade abre espaço para a esquerda em 2022

A pesquisa da EXAME/IDEIA ouviu 2.000 pessoas entre os dias 23 e 26 de agosto.

A margem de erro é de 1,75 ponto porcentual para mais ou para menos.

Os números mostram Alckmin (PSDB) com 19%, Fernando Haddad (PT) 16%, Márcio França (PSB) 15% e Guilherme Boulos (PSOL) com 14% – todos tecnicamente empatados.

Gráfico mostra o desempenho eleitorl dos candidatos ao governo de SP
Gráfico mostra o desempenho eleitoral dos candidatos ao governo de SP

Disputa entre a direita e o campo progressista

O cenário mostra claramente um antagonismo entre a direita de Alckmin e Márcio França e o campo progressista com Haddad e Boulos.

A se considerar que a direita, especialmente a campanha de Alckmin, será solapada por Rodrigo Garcia, o vice-governador de João Doria que ainda nem entrou na disputa.

Em 2008, na eleição para a prefeitura de São Paulo, Alckmin dividiu o PSDB com sua insistência em ser candidato e acabou no terceiro lugar, bem distante de Marta e Kassab, que disputaram o 2o turno.

A disputa em São Paulo está mais para ter um segundo turno entre Rodrigo Garcia, pelo governo, e Haddad ou Boulos, pela aposição.

As chances de Geraldo dirigir São Paulo pelo quinta vez estão cada dia mais distantes.