Globo e G1 sonegam do seu público o assunto mais comentado na rede social: a parcialidade de Moro

G1 e O Globo ignoram em sua página principal o assunto que toma conta das redes sociais: o mais recente vazamento de  diálogos entre o ex-juiz Sergio Moro e Deltan Dallagnol e deste com os demais procuradores da Lava Jato.

Infeliz o leitor que se informa por esses veículos.

Ficará sem entender nada.

“A Globo é sócia, agente e aliada de Moro e Lava Jato – seus porta-vozes – e não jornalistas que reportem sobre eles com alguma independência. É exatamente assim que Moro, Deltan e a força-tarefa veem a Globo. Então não esperem nada além de propaganda”, definiu o jornalista Glenn Greenwald, logo depois que o Intercept publicou a primeira reportagem sobre os vazamentos.

O comportamento da Globo, ao esconder a notícia, lembra o da campanha das diretas já, quando a emissora manipulou o noticiário para dar a entender ao público que a grande concentração na praça da Sé em 1984 era para comemorar o aniversário de São Paulo.

O repórter, Ernesto Paglia, até mencionava a campanha, mas no meio da reportagem, sem destaque.

A Globo, que apoiou a ditadura e fez mea culpa 50 anos depois, nunca mudou.

O grupo não faz jornalismo, mas lobby.

E pensa que o povo é bobo.