Governo Bolsonaro divulga fake news sobre IDH: no governo do PT, índice vinha crescendo. Por Tereza Campello e Sandra Brandão

Foto: Sérgio Lima/PODER 360

Publicado originalmente no Jornal GNN

Por Tereza Campello e Sandra Brandão

O PNUD divulgou hoje relatório de Desenvolvimento Humano, como faz praticamente todos os anos, com dados sobre a evolução do Índice de Desenvolvimento Humano do Brasil.

Os dados expõem não um ponto da conjuntura, mas séculos de desigualdade e exclusão: 1/3 da riqueza do país fica nas mãos dos 1% mais ricos. O Brasil é o segundo país mais desigual do mundo, depois do Catar (que tem uma população um pouco maior que a cidade de Brasília). Seria melhor já dizer de cara: o Brasil é o país mais desigual do mundo!

Qual seria a reação de um governo sério? Ajudar a explicitar as razões para este padrão de desigualdade secular, e apontar caminhos para construir soluções para superá-los.

Mas são óbvios: segundo a casa Civil, os resultados apontam para a “hipocrisia do discurso petista de atenção aos necessitados e a ineficiência das políticas petistas de combate à desigualdade”.

Contra a verborragia, vamos aos números do PNUD. No período do PT, o IDH vinha crescendo de forma praticamente contínua, como resultado das políticas de combate à pobreza e inclusão. O golpe interrompeu a tendência.

O legado do PT está neste gráfico, para quem quiser ver.

 

Os cortes nos gastos em saúde e educação estabelecidos pela PEC do fim do mundo, a precarização do trabalho e a redução dos direitos previdenciários só tendem a piorar as perspectivas para o próximo período.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!