Governo socialista de Portugal propõe aumento de 25% no salário mínimo em quatro anos

Antonio Costa (File: AFP)

Publicado originalmente pelo RFI

O novo governo socialista de Portugal, que tomou posse no sábado (27), espera um aumento do salário mínimo de 25%, bem como o fechamento da última usina a carvão, durante seu mandato de quatro anos.

Entre os compromissos do assumidos pela equipe do primeiro-ministro António Costa, publicados no site do governo, está a promessa de revisar a cada ano o salário mínimo para atingir um aumento acumulado de 25% em 2023, ao fim de seu segundo mandato. Atualmente, o salário mínimo bruto em Portugal é de 700 euros por mês.

Costa também espera reduzir a dívida pública de 119% do PIB para 100%. A dívida do Tesouro português é a terceira maior da zona do euro, atrás da Grécia e da Itália.

O programa de governo, que será discutido na quarta e na quinta-feira no Parlamento, dedica grandes esforços à política ambiental. Costa promete fechar as duas últimas usinas a carvão no país até 2023 e aumentar a produção de energia eólica e solar.

Com índices macroeconômicos de fazer inveja a qualquer vizinho europeu, Portugal reelegeu o governo de esquerda que está no poder desde 2015, protagonista de uma recuperação exemplar da grave crise que o país atravessou há 10 anos.

A situação confortável de estar com a casa em ordem agora expõe o segundo mandato de Costa a outros desafios – como desenvolver a malha industrial, melhorar os salários e aumentar a produtividade.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!