Greve geral amanhã. Haverá armadilhas para os manifestantes? Por Felipe Pena

Por Felipe Pena, jornalista, escritor e psicanalista.

Milhões de trabalhadores sairão às ruas amanhã. Entre as reivindicações estão a defesa da aposentadoria digna, sem a contrarreforma proposta pelo desgoverno Temer, e a pressão para que o senado modifique o projeto de lei que foi aprovado ontem na Câmara, retirando direitos trabalhistas conquistados há décadas.

Um presidente com apenas 4% de aprovação popular, sem mandato eletivo, não tem legitimidade para propor reformas. E esse é mais um motivo para a convocação da greve geral.

Mas quero chamar a ATENÇÃO de todos para as armadilhas que estão sendo preparadas para amanhã.

Haverá repressão policial, agentes infiltrados e incitação à violência.

A tática mais comum é colocar mascarados no meio da multidão para causar confusão. Outra é quebrar vitrines de lojas (desde que haja uma câmera por perto, claro). Mas a mais vil das estratégias é o próprio infiltrado atirar objetos contra os policiais. O revide é imediato e dá a impressão de que a polícia está apenas se protegendo.

Então, é preciso estar alerta e não se deixar levar por provocações.

O objetivo de Temer é passar a ideia de que os manifestantes são baderneiros e não trabalhadores lutando por seus direitos.

E você verá esse discurso sendo reproduzido de forma massiva pelos canais de comunicação do governo. Não caia nessa mentira.

Lembre-se: quando mostram mascarados na Venezuela, dizem que são manifestantes.

Aqui, dirão que são vândalos.

Se você é policial, lembre-se da sua aposentadoria, dos direitos trabalhistas, do país que você quer. Antes de disparar a bala de borracha e jogar a bomba de gás, pense em quem está do outro lado. Provavelmente, esse lado também é seu.