Há 7 anos, minha vida foi invadida por uma ordem judicial absurda e covarde em MG. Por Dino Miraglia

Dino Miraglia com um do seus dobermanns

Dia 21 de agosto de 2013!

7 anos atrás!

6:00h da manhã!

Minha vida é invadida por uma ordem judicial absurda e covarde!

Sim!

A ordem de busca e apreensão foi planejada pelos políticos corruptos, pedida pela polícia vendida, deferida por um juízo venal, com anuência da banda podre do Ministério Público e apoiada pela ala imoral da OAB/MG, para dar cabo da minha vida profissional e pessoal.

Eles sabiam que não iriam achar nada, pois eu nada havia feito, como não acharam nem mesmo depois de 6 (seis) anos de um processo fajuto e vingativo!

A anulação da absurda medida 48 (quarenta e oito) horas depois, minhas absolvições em TODOS os processos, inclusive com pedidos do próprio MP, mesmo demandando contra algumas das mais mafiosas e poderosas figuras do país, verdadeiros lideres desta quadrilha política acobertada pela organização jurídica, só demonstram o tanto que eu estava certo, e logicamente o tanto que eles estavam e continuam estando errados.

Quem nunca teve sua casa invadida não consegue aquilatar o tamanho do estrago que isso lhe causa!

O porteiro foi rendido às 05h45min, com a ameaça que se falasse comigo no interfone, ele seria preso!

A diligência foi comandada por um inspetor, “mata cachorro” do Delegado Marcio Nabak, chamado Magela que aos gritos determinou: “’Dotô’ Marcio mandou prender até as canetas”, mesmo existindo outros delegados acompanhando.

Os policiais, de tocas ninjas e coletes à prova de balas, entraram gritando e já ordenando que ninguém se mexesse, me dando voz de prisão por desacato à autoridade, após eu afirmar que se tratavam da turma do Nabak, determinando que minha ex-esposa se trocasse na frente deles ou ficasse de pijama, revirando as gavetas de peças intimas de minha filha e de sua mãe, fazendo gracejos, cheirando-as, enquanto a presidente da Comissão de Prerrogativas me dizia para ficar calmo, que tudo estava dentro da legalidade!

A presença do helicóptero, fazendo voos baixos, causou pânico e pavor na vizinhança, não só pela truculência da operação, mas também pelo barulho aterrorizador, expondo a todos o que ocorria!

Ela, a presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB, fez questão de acompanhar pessoalmente, MESMO SENDO SUSPEITA E TER INTERESSE DIRETO NO RESULTADO DA DILIGÊNCIA, já que faz parte do grupo adverso, fato este público e notório, e se manteve todo o tempo no telefone, enquanto estive na condição de conduzido!

A satisfação dela, Presidente da Comissão de Prerrogativas, vendo um advogado ter suas defesas e prerrogativas violadas de forma tão cruel, só confirmam o que já sabíamos antes mesmo que fosse “estourada” minha casa e meu escritório.

Parte da OAB à época participou ativamente de todo o complô de derrubada de Marco Aurélio Carone e Nilton Monteiro, e para isso, ferir de morte o advogado era parte da estratégia.

Outros advogados enfrentaram esse calvário, nas vezes que atuaram contra esse mesmo grupo ou defenderam as mesmas pessoas!

A entidade OAB foi dolosamente omissa já que seus representantes legais nada fizeram, mesmo assistindo a tudo a que fomos, eu e minha família, submetidos e as pessoas que determinaram tal procedimento, estavam ligadas a ala poderosa da

OAB!

Ademais, o sigilo das diligências foi violado pela própria representante da OAB, já que se encontrava, na porta da minha casa aguardando minha prisão, uma equipe do Jornal Estado de Minas, explícito defensor da família Neves.

Nesse dia, em 14 (quatorze) horas assinei mais de 40 (quarenta) substabelecimentos para outros advogados, que atacaram meus clientes, iguais hienas nas carniças, dizendo que eu levaria todos para a cadeia!

Todo o procedimento foi instaurado tempos depois do Júri da Modelo, quando já havia obtido as provas para realizar o Júri do mandante, e encontrei Walfrido Mares Guia no Minas Tênis Clube, e também, logo em seguida a uma audiência, onde eu estava acompanhando Marco Aurélio Carone e a parte contrária era o Delegado e Secretário de Saúde do PSDB, Alexandre da Silveira, que me ameaçou dentro da audiência!

Os mais poderosos clientes da advocacia sempre contratam poderosos advogados, e ser parte da diretoria da OAB é sinal de PODER!

Depois fiquei sabendo que, enquanto as diligências ocorriam, o Delegado, o advogado Joaquim Engler, outros membros da OAB e da politica, se encontravam na sala do delegado, às gargalhadas, com as notícias que chegavam através da Presidente da Comissão de Prerrogativas.

No meu escritório as ameaças continuaram!

Apreenderam computadores, HDs, pastas dos clientes Nilton Monteiro e Marco Aurélio Carone, bem como, as pastas particulares do escritório e minha, onde foram extraídos documentos que jamais foram recuperados!

Fiquei 14 horas à disposição da autoridade policial, acompanhado de 2 (dois) advogados não ligados a OAB, Drs. Sergio Isaias e Willian Ferreira, que não me abandonaram até a hora que retornei ao meu lar.

No dia seguinte fiz o Pedido de Restituição em nome de minha ex mulher e minha filha, o que foi deferido em 48 horas, com o reconhecimento das nulidades praticadas pelas autoridades policiais, e que estendeu a decisão aos meus bens pessoais e do escritório (que eu nem havia pedido) e com a anulação das diligências!

Os computadores foram devolvidos copiados e periciados SEM ORDEM JUDICIAL!

O QUE A OAB FEZ?

Jamais voltei a ser a mesma pessoa!

Nessa pandemia, estamos tendo que nos reinventar!

Eu fui reinventado na marra, nas mãos de torturadores, e não achem que a tortura física é a mais doída, e hoje encaro esse NOVO COMUM com naturalidade!

Estou em isolamento social e profissional há 7 (sete) anos!

Hoje luto nas minhas defesas enquanto termino meu novo livro!

Muita coisa mudou!

Eles passaram de vítimas a bandidos e eu só deixei de ser bandido!

NÃO SOU TRATADO COMO VÍTIMA!

Consegui forças de onde nem sabia que tinha!

Quando acordei no dia seguinte, senti um aperto no coração, pensando como iria encarar minha família!

Hoje me permito escolher quem pode me olhar!

Essa história jamais terá fim!

Ontem fez 30 dias que minha filhote desapareceu misteriosamente, sem pistas!

Hoje faz 7 anos do segundo pior dia da minha vida, somente perdendo para o dia que meu pai morreu!

Alguns dias acordo cansado!

Sinto que isso tudo não vai dar em nada!

E como sinto!

Tornei-me um advogado que não acredita na Justiça!

Um humano que prefere os seres cães!

Talvez esse vírus seja mais um aviso:

ESSE PAÍS CHEGOU NO FUNDO DO POÇO!

.x.x.x.x.

Dino Miraglia foi advogado do caso da modelo Cristiane Ferreira, assassinada em um flat. O homem apontado como executor foi condenado e, depois de oito anos foragido, foi preso há alguns meses, e cumpre pena. Cristiane aparece na lista de Marcos Valério, como destinatária de uma grande quantia em dinheiro. Segundo suspeitam investigadores e o próprio Dino, ela era mula do esquema corrupto que envolvia a cúpula do PSDB no Estado.

Dino Miraglia foi também advogado do jornalista Marco Aurélio Carone, que, juntamente com Geraldo Elísio, tocava o veículo mais crítico ao grupo de Aécio Neves no Estado, o Novo Jornal.

Nílton Monteiro foi o delator do caso conhecido como Mensalão Mineiro e da Lista de Furnas.

.x.x.x.x.

Nota da redação: as pessoas citadas do texto podem se se manifestar, caso desejem – basta enviarem mensagem para contato@dcm.com.br.

 

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!