Hábitos de namoro no Brasil

Os hábitos de namoro mudaram com o avanço tecnológico no Brasil, assim como no mundo. As novas gerações, no Brasil, estão utilizando cada vez mais aplicações para encontrar o seu par ideal. Além disso, a pandemia também reforçou a nova forma de iniciar um relacionamento. 

De acordo com pesquisas realizadas, 62% das mulheres inscritas em Apps e/ou sites de namoro estão em busca de um relacionamento sério e outros 30% querem conhecer e conversar com pessoas para iniciarem um potencial namoro. O grande motivo da mudança de cenário da paquera está relacionada com a falta de tempo devido ao trabalho. Entretanto, com a pandemia e a falta de vida social muitos optaram pelas apps e sites.

A preferência da população brasileira na hora da paquera 

Segundo avaliações de um conglomerado de aplicativos, 81% dos brasileiros preferem uma abordagem sincera, criativa e descontraída na hora da paquera.  Além disso, entre os 18-24 anos uma das partes mais importantes na hora da paquera é testar o poder de sedução. Outra curiosidade na hora da paquera é que a grande maioria entre os 18-34 anos dão preferência aquelas pessoas que os fazem rir. Também gestos como o carinho, afeição e empatia são bastante avaliados na hora da paquera. 

Tipicamente, o Brasileiro(a) procuram por alguém que vá dar carinho, companhia e ter bons momentos de risadas. Estas são as características principais que são avaliadas entre aqueles(as) que procuram por um parceiro(a). 

Há também aqueles que se divorciaram e buscam, sobretudo relacionamentos casuais. Já o grupo etário mais sênior, a partir dos 60, buscam parceiros para ter companhia e sobretudo com a ideia de envelhecer juntos. Muitas pessoas demonstraram ter medo de envelhecer sozinho e adotam os sites de relacionamento e apps como uma possível saída para um futuro à dois e ter uma boa companhia.

O impacto da pandemia na busca pelo par ideal

A pandemia do covid-19 reformulou a interação entre seres humanos. A necessidade do distanciamento social e isolamento podem ter muito mais impactos em certas culturas do que em outras. Os Brasileiros, por exemplo, são um povo onde as relações tendem a ser muito mais próximas. Ficar sem o habitual abraço, sem dar as mãos ou tocar nos outros é muito mais difícil. Desse modo, a falta da interação social pode ser muito mais violenta e trazer sentimentos de solidão e tristeza.

Entretanto, as restrições de deslocamento e o distanciamento social não impediram milhares de solteiros de utilizarem os aplicativos e sites de relacionamento. O uso de sites de namoro e aplicativos cresceram, porque os usuários continuam procurando formas de se conectar, paquerar e evitar o tédio do período de pandemia. Segundo lovinos, um comparador de sites de encontros, o mercado de encontros online registrou um crescimento médio de 25% no número de usuários. 

As plataformas online de relacionamento também estão a ter um aumento considerável das suas receitas. De acordo o Match Group, famosa empresa americana responsável por algumas das mais famosas apps de relacionamento a nível mundial, registrou que o Tinder, entre 1 de abril e 30 de junho, obteve um aumento de receita direta na ordem dos 15%.  

A dependência tecnológica das novas gerações

É legítima a dependência tecnológica das novas gerações. Num contexto pré pandemia, as sociedades já seguiam a tendência de uso exacerbado das tecnologias, sobretudo as novas gerações.

Recentemente, quando os países começaram com os lockdowns e direcionaram as pessoas ao isolamento, o acesso à Internet e os avanços digitais mantiveram as pessoas conectadas e as sociedades a funcionar.  

Conforme a App Annie, a pandemia aumentou em 40% o tempo que usuários passam em smartphones. Notou-se que no Google Play, os aplicativos não destinados a jogos representam 55% dos downloads, enquanto no iOS o número foi um pouco maior, 70%.

As categorias que sofreram o maior número de downloads no Google Play foram: “jogos”, “ferramentas” e “entretenimento”. Além disso, as categorias “negócios”, “saúde”, “fitness” e “educação” também somaram aumentos de 115%, 75% e 50%, respectivamente, em comparação do segundo trimestre de 2020 com o mesmo período em 2019. 

A app Tik tok, por exemplo, sofreu um boom neste período e apresenta cerca de 7 milhões de brasileiros cadastrados, aponta o Global Web index, 2020. Além disso, os sites e Apps de relacionamentos não ficaram atrás.  Segundo a FORBES BR, o Happn teve um aumento de 18% nas mensagens trocadas pelo aplicativo e outros como The Inner Circle e Par perfeito manifestaram um aumento de 15% nos matches e 10% nas mensagens enviadas e crescimento de 70% de novos usuários, respectivamente.

Este cenário da dependência tecnológica foi acelerado com a pandemia em moldes nunca vistos, mas que também mostra os vários lados do mundo digital. 

Caminhos para uma nova realidade

De acordo com os passos que a humanidade tem dado, as palavras para o futuro serão resiliência e adaptação. A pandemia e a nova normalidade ensinaram muito para as pessoas e é tempo de adotar um novo ritmo de vida e dar valor às coisas simples da vida.

Um novo período das relações entre os seres humanos está começando e utilizar a tecnologia a nosso favor é um caminho a ser seguido. No caso dos relacionamentos amorosos, a tecnologia pode ser um primeiro passo para conhecer o par ideal e ter um leque maior de possibilidades. Uma nova realidade está em curso e a tecnologia será um fator essencial desse novo mundo.


Os hábitos de namoro mudaram com o avanço tecnológico no Brasil, assim como no mundo. As novas gerações, no Brasil, estão utilizando cada vez mais aplicações para encontrar o seu par ideal. Além disso, a pandemia também reforçou a nova forma de iniciar um relacionamento. 

De acordo com pesquisas realizadas, 62% das mulheres inscritas em Apps e/ou sites de namoro estão em busca de um relacionamento sério e outros 30% querem conhecer e conversar com pessoas para iniciarem um potencial namoro. O grande motivo da mudança de cenário da paquera está relacionada com a falta de tempo devido ao trabalho. Entretanto, com a pandemia e a falta de vida social muitos optaram pelas apps e sites.

A preferência da população brasileira na hora da paquera 

Segundo avaliações de um conglomerado de aplicativos, 81% dos brasileiros preferem uma abordagem sincera, criativa e descontraída na hora da paquera.  Além disso, entre os 18-24 anos uma das partes mais importantes na hora da paquera é testar o poder de sedução. Outra curiosidade na hora da paquera é que a grande maioria entre os 18-34 anos dão preferência aquelas pessoas que os fazem rir. Também gestos como o carinho, afeição e empatia são bastante avaliados na hora da paquera. 

Tipicamente, o Brasileiro(a) procuram por alguém que vá dar carinho, companhia e ter bons momentos de risadas. Estas são as características principais que são avaliadas entre aqueles(as) que procuram por um parceiro(a). 

Há também aqueles que se divorciaram e buscam, sobretudo relacionamentos casuais. Já o grupo etário mais sênior, a partir dos 60, buscam parceiros para ter companhia e sobretudo com a ideia de envelhecer juntos. Muitas pessoas demonstraram ter medo de envelhecer sozinho e adotam os sites de relacionamento e apps como uma possível saída para um futuro à dois e ter uma boa companhia.

O impacto da pandemia na busca pelo par ideal

A pandemia do covid-19 reformulou a interação entre seres humanos. A necessidade do distanciamento social e isolamento podem ter muito mais impactos em certas culturas do que em outras. Os Brasileiros, por exemplo, são um povo onde as relações tendem a ser muito mais próximas. Ficar sem o habitual abraço, sem dar as mãos ou tocar nos outros é muito mais difícil. Desse modo, a falta da interação social pode ser muito mais violenta e trazer sentimentos de solidão e tristeza.

Entretanto, as restrições de deslocamento e o distanciamento social não impediram milhares de solteiros de utilizarem os aplicativos e sites de relacionamento. O uso de sites de namoro e aplicativos cresceram, porque os usuários continuam procurando formas de se conectar, paquerar e evitar o tédio do período de pandemia. Segundo lovinos, um comparador de sites de encontros, o mercado de encontros online registrou um crescimento médio de 25% no número de usuários. 

As plataformas online de relacionamento também estão a ter um aumento considerável das suas receitas. De acordo o Match Group, famosa empresa americana responsável por algumas das mais famosas apps de relacionamento a nível mundial, registrou que o Tinder, entre 1 de abril e 30 de junho, obteve um aumento de receita direta na ordem dos 15%.  

A dependência tecnológica das novas gerações

É legítima a dependência tecnológica das novas gerações. Num contexto pré pandemia, as sociedades já seguiam a tendência de uso exacerbado das tecnologias, sobretudo as novas gerações.

Recentemente, quando os países começaram com os lockdowns e direcionaram as pessoas ao isolamento, o acesso à Internet e os avanços digitais mantiveram as pessoas conectadas e as sociedades a funcionar.  

Conforme a App Annie, a pandemia aumentou em 40% o tempo que usuários passam em smartphones. Notou-se que no Google Play, os aplicativos não destinados a jogos representam 55% dos downloads, enquanto no iOS o número foi um pouco maior, 70%.

As categorias que sofreram o maior número de downloads no Google Play foram: “jogos”, “ferramentas” e “entretenimento”. Além disso, as categorias “negócios”, “saúde”, “fitness” e “educação” também somaram aumentos de 115%, 75% e 50%, respectivamente, em comparação do segundo trimestre de 2020 com o mesmo período em 2019. 

A app Tik tok, por exemplo, sofreu um boom neste período e apresenta cerca de 7 milhões de brasileiros cadastrados, aponta o Global Web index, 2020. Além disso, os sites e Apps de relacionamentos não ficaram atrás.  Segundo a FORBES BR, o Happn teve um aumento de 18% nas mensagens trocadas pelo aplicativo e outros como The Inner Circle e Par perfeito manifestaram um aumento de 15% nos matches e 10% nas mensagens enviadas e crescimento de 70% de novos usuários, respectivamente.

Este cenário da dependência tecnológica foi acelerado com a pandemia em moldes nunca vistos, mas que também mostra os vários lados do mundo digital. 

Caminhos para uma nova realidade

De acordo com os passos que a humanidade tem dado, as palavras para o futuro serão resiliência e adaptação. A pandemia e a nova normalidade ensinaram muito para as pessoas e é tempo de adotar um novo ritmo de vida e dar valor às coisas simples da vida.

Um novo período das relações entre os seres humanos está começando e utilizar a tecnologia a nosso favor é um caminho a ser seguido. No caso dos relacionamentos amorosos, a tecnologia pode ser um primeiro passo para conhecer o par ideal e ter um leque maior de possibilidades. Uma nova realidade está em curso e a tecnologia será um fator essencial desse novo mundo.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!