Homem acusado de atirar na cabeça de agrônoma após perseguição no trânsito é bolsonarista e cidadão de bem

Jackson Furlan, acusado de matar agrônoma depois de persegui-la de carro

Batata.

O sujeito acusado de matar uma mulher de 28 anos após perseguir o carro em que ela estava com o namorado é bolsonarista e cidadão de bem.

O caso ocorreu na sexta, dia 9, em Sorriso, a 400 quilômetros de Cuiabá.

Jackson Furlan, de 29 anos, apresentou-se na delegacia com advogados no domingo e foi preso. Estava sendo procurado.

Júlia morreu ao tomar um tiro na cabeça.

O veículo foi acossado por várias ruas da cidade após uma ultrapassagem.

Jackson ficou na cola do casal até que, chegando perto de um hospital, sacou a arma e efetuou os disparos.

Segundo a polícia, fugiu em direção a uma rodovia estadual, a MT-242.

Sua camionete foi encontrada em um matagal, onde ele a abandonou.

No parachoque, o adesivo “Bolsonaro 2022”.

Júlia Barbosa estava em Sorriso a passeio. Morava em Cornélio Procópio, no Paraná, para onde o corpo foi trasladado.

O Brasil do bangue bangue bolsonarista já é uma realidade.

A camionete do crime, abandonada: adesivo de “Bolsonaro 2022”

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!