Identifiquei e estou expondo as pessoas que me difamam na rede social. Por Jean Wyllys

PUBLICADO NO FACEBOOK DE JEAN WYLLYS

Hoje, mais uma vez, nosso mandato expõe, para que todo o mundo saiba quem são, os perfis dos difamadores que usam as redes sociais para praticar crime de calúnias e injúrias, espalhando mentiras, fake news e boatos ridículos. Nossa equipe selecionou, dessa vez, alguns criminosos da região Sudeste do país.

Como vocês podem ver nos prints, todos eles usaram diferentes versões de uma mesma calúnia: aquela que, desde o início do meu primeiro mandato, tenta associar meu nome à pedofilia. Para isso, falsificaram uma foto em que a deputada Maria do Rosário, do meu lado, segura um cartaz com uma frase absurda que justifica os pedófilos, acompanhada de uma manchete que diz que eu e Rosário queremos descriminalizar o abuso sexual de crianças. A foto é real, mas a frase original do cartaz era outra que não tinha nada a ver com essa loucura — a imagem foi adulterada. Em outra imagem adulterada que simula ser um tuíte meu, diz que nós, brasileiros, devemos aceitar o casamento de adultos com crianças porque é uma “tradição islâmica”. Outro absurdo! Por último, vários criminosos compartilharam um meme de um site de fake news que me atribui outra frase delirante em defesa da pedofilia como uma prática “normal em diversas espécies”.

E não é só isso. Além de falsificar tuítes e fotos e inventar coisas que eu jamais falei e que são evidentemente absurdas, os difamadores também são violentos. “Ele merece uma boa surra”, diz Robinson, falando sobre mim. “Merece a morte mais lenta possível”, diz Alex. “Merece muita porrada”, diz Paulo Roberto. “Tem que ser linchado”, diz Hamilton. Além de todas essas formas de incitação à violência, que também é crime, eles me chamam de verme, lixo, capeta, filho da puta. E, claro, “viado”, porque o verdadeiro problema dessa gente comigo é a minha orientação sexual.

Estes e outros difamadores serão denunciados à Polícia Federal para que sejam responsabilizados por seus crimes. Também haverá uma notificação direta a seus empregadores, para que saibam o que seus funcionários estão fazendo. Quem acha que a difamação e a incitação à violência através das redes sociais é gratuita está muito errado: existem leis contra isso e nós vamos agir com determinação para dar um basta a essa história.

Qualquer um de vocês pode discordar das minhas ideias e projetos ou criticar minha atuação como deputado. Isso faz parte do jogo democrático. O que não pode é recorrer à mentira, à calúnia, à injúria, à ameaça. Quem continuar fazendo, será denunciado e, também, será exposto aqui, para que sua família, seus vizinhos, seus colegas de trabalho e seus amigos saibam quem é. Acabou a impunidade.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!