Izabella Camargo desabafa na televisão após demissão da TV Globo

Izabella Camargo. (Reprodução/YouTube)

A Veja São Paulo informa que, em novembro de 2018, Izabella Camargo desabafou no Instagram após a demissão da TV Globo. A jornalista retornou à televisão na tarde desta quarta (12), quando participou do programa “Você Bonita”, da TV Gazeta. No bate-papo, a profissional falou sobre a síndrome de Burnout, que motivou sua licença médica da antiga emissora.

Na conversa, Izabella, que fazia o Hora 1, de Monalisa Perrone, revelou que trabalhar de madrugada prejudicou sua saúde. “A síndrome de Burnout não começa de um dia para o outro. A síndrome de Burnout ela começa anos antes da corda arrebentar. Quando é que a corda arrebenta? Quando você passa do limite. Eu uso uma analogia muito interessante que é a da mala. Quando a gente tenta colocar muita coisa dentro da mala, vai forçando e o que acontece com o zíper? Estora, arrebenta. Então a gente tem várias coisas ao nosso redor para pensar o que nós estamos fazendo com os nossos limites”, explicou sobre a doença.

“Eu tenho uma amiga que teve Burnout e eu não reconheci em mim os sintomas. Por que eu não reconheci? Porque nós vamos tratando tudo como caixinhas isoladas”, disse Izabella. “Eu comecei a ter, então, desde 2015 para 2016, eu tive uma frequência de sono inferior ao que eu precisava. A Associação Brasileira do Sono diz que não existe uma quantidade ideal para todas as pessoas, mas tem o recomendado e isso vai mudando de idade para idade. Desde 2015, o meu corpo começou a acumular um déficit que era provocado pela falta de sono…”, explicou a jornalista. “A gente fica mais irritado, come mais… ou seja, vão tendo vários desequilíbrios por conta do sono”.

“Para mim começou com a falta de sono por causa de uma agenda muito diferente da que meu corpo precisava”, garantiu. “O meu corpo depois de alguns anos trabalhando de madrugada ele estava me dizendo: ‘Tem alguma coisa errada’”. Ela também revelou que a falta de sono provocou problemas físicos, como questões cardiovasculares e gastrointestinais. “Aí eu comecei a ter taquicardia, comecei a ter crises de choro, comecei a ter crises nervosas e eu falei: ‘Ué, mas eu faço meditação todo fia, pilates, RPG, uso floral, tento manter sempre uma comunicação muito positiva… por que estou tendo taquicardia?’”.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!