Janaina Paschoal se queixa de “pedradas” de bolsonaristas

Publicado no Pragmatismo Político

Janaína Paschoal ganhou notoriedade, em 2015, como autora do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Foto: Agência Brasil

A deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) rebateu, na manhã desta segunda feira (15), as críticas que recebeu por defender a demissão do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Eleitores de Bolsonaro pediram que a parlamentar paulista se colocasse “em seu devido lugar“.

Em sua conta do Twitter, Janaina Paschoal afirmou que recebeu mensagens dizendo que ela é “apenas uma deputada estadual” e não deveria intervir.

Só gostaria de lembrar duas coisinhas: 1- Se eu tivesse ficado no meu devido lugar, quando ainda nem era ‘apenas uma Deputada Estadual’, o PT estaria no poder. 2- Os aplausos reiterados levaram Lula à prisão!“, rebateu.

“Então, sob as costumeiras pedradas, seguirei trabalhando (como sempre trabalhei) pelos netos de todos! E não faço isso por ser uma Deputada Estadual, faço isso por ser uma cidadã brasileira! Cidadã é o maior título que uma pessoa pode ter. Pensem nisso!“, completou a parlamentar.

Janaina foi uma das autoras do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e chegou a ser cotada para ser vice-presidente de Bolsonaro nas eleições do ano passado, mas recusou o convite na época.

No último sábado, a jurista exigiu a demissão do ministro do Turismo, que teria ameaçado a deputada Alê Silva (PSL-MG) de morte por ter denunciado um esquema de candidaturas laranjas no partido, pelo qual ele seria o responsável. A parlamentar defendeu que Bolsonaro afaste Marcelo Álvaro e afirmou que ele não deve esperar a conclusão do inquérito.

Como é que pode uma situação dessas e o Presidente não tomar providências? Não pode! O afastamento do Ministro não implicará atribuição de culpa, apenas um sinal de que o Presidente se importa com as mulheres de seu partido“, escreveu Janaina Paschoal na ocasião.

Ministro do Turismo se defende

Alvo de reportagens sobre candidaturas laranjas desde o começo do ano e agora acusado por uma deputada federal de seu próprio partido de ser autor de ameaça de morte, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio (PSL-MG), ligou para Janaina Paschoal (PSL-SP) para se explicar.

Após a suposta ameaça vir à tona, em entrevista concedida por Alê Silva (PSL-MG) ao jornal Folha de S.Paulo, Paschoal exigiu a demissão do ministro por meio do Twitter. Seu perfil na rede social tem 456 mil seguidores.

Apesar de ser deputada estadual, Janaina Paschoal é uma das faces mais visíveis e populares do PSL. Foi eleita para Assembleia Legislativa de São Paulo com a maior votação da história – conquistou mais de 2 milhões de eleitores.

Eu não falei com o Presidente sobre o caso. Falei com o próprio Ministro, que afirma ser inocente. Eu expliquei a ele que não tenho nada contra ele, mas que entendo que a situação fragiliza o governo”, disse a deputada estadual ao Terra.

Ela defende que o político se afaste do cargo enquanto se defende. Frisou que não está acusando Marcelo Álvaro Antônio de nada. “Estando tudo esclarecido, ele voltaria”, diz.

Segundo Janaina Paschoal, foi a primeira vez que teve contato com o ministro. Afirma ter sido uma conversa respeitosa. “Entendo que pode haver um mal entendido nessa história toda, mas não é possível simplesmente ignorar a situação”.

Marcelo Álvaro Antonio afirma se tratar de uma disputa de poder no PSL de Minas Gerais, ao qual Alê Silva também é filiada. O ministro é presidente do partido no Estado. Silva diz ter uma testemunha da ameaça.

 

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!