Jefferson, aceite: já não há governo do PT para fazerem vilão virar herói. Por Fernando Brito

Cristiane Brasil

Texto publicado no Tijolaço.

Por Fernando Brito.

“Minha filha não vai sair de bandida”, diz Roberto Jefferson à Folha.

Já saiu, Bob. Perdeu, playboy outonal.

E vai sair de bandida por sua causa.

Ela é só uma medíocre, uma das/dos muitos que habitam os mandatos parlamentares porque têm “esquemas” e estômago para eles.

Vai sair de bandida porque você atraiu sobre ela os tais “instintos mais primitivos” que um dia invocou para ser, sendo vilão, herói.

Você não entendeu que gente com o comportamento – perdão, não há outra palavra – escroto como o seu só virou um “hit” porque servia ao plano de derrubar do governo as forças populares que o tinham conquistado no voto.

Vai sair de bandida porque a chantagem que fez sobre Michel Temer para nomeá-la resultou em algo pior do que exigir o Ministério do Trabalho para ela em troca dos votos para a “reforma” da Presidência.

Mas não se desespere.

Você tem ao menos um troféu: não desmoralizou apenas Temer, porque isso é uma “moleza”. Fez a Justiça expor-se a quem pensa um pouco.

O que são as acusações contra Cristiane Brasil – que por elas não pode ser ministra – perto das acusações a Moreira Franco, que pode ser, com o beneplácito do vetusto STF?

Ela é uma insignificância, Bob.

O problema dela não são os “fortões”, os processos trabalhistas, a limitação intelectual. Isso tem de sobra por aí, neste governo.

O problema dela é você, um palito queimado, sem serventia agora para aqueles a quem você serviu um dia como incendiário.

PS. O fantástico põe a pá de cal na insepulta Ministra Porcina, com uma gravação onde ela diz, aparentemente a auxiliares que, sem votarem nela, perderão o emprego.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!