Jornalistas são demitidos no Peru após jornal impor linha editorial pró-Keiko Fujimori

Keiko Fujimori. Foto: Reprodução Youtube

O professor de jornalismo e pesquisador Pedro Aguiar utilizou as redes sociais nesta terça-feira (08) para denunciar que 10 jornalistas foram demitidos após o jornal impor uma linha editorial pró-Keiko Fujimori.

Os profissionais demitidos faziam parte do programa “Quarto Poder” e denunciaram assédio político do diretor do canal, Gilberto Hume. 

Hoje mais cedo, 3 editores tinham encaminhado ao conselho profissional de jornalismo do país, o Consejo de la Prensa Peruana, uma queixa contra ele por violação de ética profissional. Segundo eles, o assédio do chefe “afeta gravemente a liberdade de expressão e informação”.

Além de aceitar a queixa e anunciar que irá examiná-la, o conselho emitiu nota na qual expressa preocupação com a “contravenção” dos princípios do “noticiário veraz e imparcial”, ainda que veículos tenham liberdade editorial.

O órgão também afirma que “isso exige diferenças devidamente [quanto a]os espaços de opinião da cobertura informativa, a qual deve zelar pela objetividade e pelo equilíbrio, como parte do compromisso ético do jornalismo com a busca da verdade”.

Filha do ditador Alberto Fujimori (1990-2000), a representante da direita tenta pela terceira vez chegar à Presidência. Ela foi ultrapassada por Pedro Castillo (Peru Livre) na reta final da apuração dos votos da eleição peruana.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!