Juliette Binoche fala sobre os escravos que sua antepassada teve no Brasil: “Gostaria de pedir perdão”

Estadão conversa com Juliette Binoche sobre filmes, diretores e carreira.

Posted by Estadão on Friday, November 29, 2019

O DCM recebeu o seguinte email da nossa leitora Elaine Philippe:

O entrevistador pode até ser um homem simpático, mas nota zero em termos de tradução! 

Ela não disse que a tataravó era escrava.

Na realidade, Juliette diz que a família de sua antepassada tinha um dote com cerca de cem escravos, e que esses escravos, por pertencerem à família, tinham o sobrenome Binoche.

Ela gostaria de encontrar esses negros e pedir perdão. Nada a ver com o que o entrevistador traduziu.

Ela disse que ela acha que toda a família brasileira dela (de sangue) deve ter ido embora do Brasil.

Disse que a antepassada teve, pelo que sabe, treze filhos, dos quais, dois morreram.

Os escravos eram dotes dessa antepassada.

Diz também que não sabe em que condições esses escravos foram deixados aqui, já que todos os seus familiares voltaram para a França.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!