Kanye West critica aborto, contesta abolicionista e chora em seu primeiro discurso na corrida pela Casa Branca

PUBLICADO NA RFI

O rapper Kanye West chorou, no domingo (19), ao proferir um discurso antiaborto e contestando o papel de heróis da luta contra a escravidão. O evento, realizado em Charleston, Carolina do Sul, marcou o lançamento da candidatura do artista à presidência dos Estados Unidos.

Vestido com um colete à prova de balas com a inscrição “segurança”, Kanye West fez um discurso incoerente durante a reunião, reservada aos convidados. Segundo a imprensa americana, todos tinham de usar máscara e respeitar as regras de distanciamento social. Os participantes do comício também tiveram que assinar um documento assumindo o eventual risco de contaminação pela Covid-19 durante a manifestação.

O ponto alto do discurso foi quando o cantor criticou abertamente o acesso ao aborto dos Estados Unidos. A estrela do rap disse que quis que sua esposa, Kim Kardashian, abortasse quando ela estava grávida de sua filha North. Arrependido, ele se comparou a seu próprio pai.

“Meu pai queria que minha mãe me abortasse. Minha mãe salvou minha vida. Não haveria Kanye West, porque meu pai estava muito ocupado”, disse o cantor, que começou a chorar neste momento. Logo depois, ele falou algo de forma incompreensível por um minuto e gritou: “Eu quase matei minha filha! Eu quase matei minha filha!”.

O cantor quer que o aborto seja legalizado nos Estados Unidos, mas defende que medidas sejam implementadas para desencorajar as futuras mães que pretendem interromper a gravidez.

Na contramão de boa parte do mundo, em 2019, vários estados norte-americanos adotaram leis que proíbem o aborto no país. Outros estados também adotaram medidas que visam restringir ao máximo o acesso à interrupção da gravidez.

Escravidão

Em outro momento de seu discurso, West afirmou que a célebre abolicionista americana “Harriet Tubman nunca libertou realmente os escravos”. Segundo o cantor, ela “apenas fez os escravos trabalharem para outros brancos”.

Ex-escrava, Tubman foi uma militante que, em meados do século 19, defendeu a abolição da escravidão nos Estados Unidos. Ela é conhecida nos como Moisés dos Negros.

Algumas das passagens do discurso do rapper circularam nas redes sociais, causando indignação e até preocupação com a saúde mental do cantor, que no passou chegou a se comparar com Deus.

Risco para Biden

Kanye West anunciou sua candidatura à Presidência em 4 de julho no Twitter. Ele não chegou a tempo de se inscrever na lista oficial de candidatos em vários estados, mas está na lista de Oklahoma.

Alguns observadores acreditam que sua campanha poderia prejudicar a do candidato democrata Joe Biden, especialmente nos estados mais disputados, onde Trump venceu com uma margem mínima em 2016 e onde as pesquisas atualmente o colocam atrás do ex-vice-presidente de Barack Obama.

“Dizer que o voto negro é democrata é uma forma de racismo e supremacia branca”, disse West à revista “Forbes” no início deste mês, reconhecendo que ele não hesitaria em lutar com Biden pelos votos da minoria afro-americana que frequentemente vota nos democratas.

O jornalismo do DCM precisa de você para continuar marcando ponto na vida nacional. Faça doação para o site. Sua colaboração é fundamental para seguirmos combatendo o bom combate com a independência que você conhece. A partir de R$ 10, você pode fazer a diferença. Muito Obrigado!